O Que devemos saber Sobre o Jejum

“Ó fiéis, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Allah. Jejuareis determinados dias; porém, quem de vós não cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias. Mas quem, só à custa de muito sacrifício, consegue cumpri-lo (o jejum), vier a quebrá-lo, redimir-se-á, alimentando um necessitado; porém, quem se empenhar em fazer além do que for obrigatório, será melhor. Mas, se jejuardes, será preferível para vós, se quereis sabê-lo.” (Al-Bácara:183-4)

Introdução

Definição de Siyam (Jejum)

Em termos gerais, as-Siyam(Jejum) significa ‘abster-se de algo.’ A definição Islâmica de Siyam é a abstenção de comer, beber, e de relações sexuais [com parceiro legal] da alvorada até ao por do sol com a exclusiva intenção de agradar a Allah e seguindo a tradição do Profeta Muhammad (salla allahu aleyhi wa sallam).

Quais São as Virtudes de Jejum: Abu Hureira relatou que o Apóstolo de Allah (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “Allah afirmou: ‘Todas as obras feitas por filho de Adão são para ele próprio com a exceção de jejum, porque a mesma é feita para Mim exclusivamente.’

O Jejum é uma Proteção. Se um indivíduo estiver a jejuar, ele não deve usar má linguagem, levantar a sua voz, ou comportar-se estupidamente. Se alguém brigar ou lutar com ele, ele deve dizer simplesmente “estou a jejuar.”  Repetir isto duas vezes.  Juro em nome de Quem detém a alma do Muhammad, o [mau] cheiro do indivíduo que está a jejuar é melhor para Allah no Dia do Juízo Final do que o cheiro do mesk(o melhor perfume). O indivíduo que está a jejuar contentar-se-ia em duas ocasiões: ele fica feliz quando quebra o seu jejum e quando se encontrar com o seu Senhor ficará ainda feliz por haver jejuado.  Relatado por Ahmad, Muslim, e Nasa’i.

‘Abdullah ibn Amr relatou que o Apóstolo de Allah (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “O Jejum e o Al-Qur’an são intercessores. O jejum dirá: ‘O Senhor, eu impedi-lhe de tomar a sua refeição e realizar os seus desejos durante o dia. Aceita a minha intercessão a seu favor.’ O Al-Qur’an dirá: impedi-lhe de dormir às noites. Aceita a minha intercessão a seu favor.  E as intercessões serão então aceites.” Relatado por Ahmad

Abu Sa’id al-Khudri relatou que o Apóstolo de Allah (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “Nenhum servo de Allah jejua durante um dia no caminho de Allah sem que Allah afaste o seu rosto do inferno a uma distância de setenta anos.” Todos os livros de sunan narraram (al-Bukhari, Muslim, Ibn Majah, at-Tirmidhi, an-Nasa’i) este hádiss com  a exceção do Abu Daud.

Sahl ibn Sa’d relatou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) disse:  “Há uma porta no Paraíso que se chama Rayan. No Dia de Juízo Final esta porta dirá: ‘Onde estão aqueles que jejuavam para que entrem? Depois  da última pessoa entrar, a mesma fechar-se-á.” Relatado por al-Bukhari e Muslim

Os Tipos de Jejum: Há dois tipos de Jejum: Obrigatório e Voluntário

De acordo com Al-Qur’an e a Sunnah, o Jejum do mês de Ramadãn é obrigatório.

A evidência encontra-se nos seguintes versículos de Al-Qur’an:

“  Ó fiéis, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Allah.” (Al-Bácara: 183)

“O mês de Ramadan foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e evidência de orientação e Discernimento. Por conseguinte, quem de vós presenciar o novilúnio deste mês deverá jejuar; porém, quem se achar enfermo ou em viagem jejuará, depois, o mesmo número de dias. Allah vos deseja a comodidade e não a dificuldade, mas cumpri o número (de dias), e glorificai a Allah por ter-vos orientado, a fim de que (Lhe) agradeçais.” (Al-Bácara: 185)

Toda a comunidade Muçulmana concorda sobre o fato de que o jejum de Ramadãn é obrigatório. Ele é um dos pilares de Islam, e se alguém disputa acerca disto, ele não pode ser considerado Muçulmano.

As Virtudes de Ramadan e as Obras Feitas Durante Este Mês

Abu Hureira relatou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam)  dizia nas vésperas de Ramadan: “ Chegou-vos o mês sagrado. Allah tornou obrigatório o jejum para vós durante este mês.  Durante este mês, as portas de Paraíso estão abertas e as do inferno fechadas, e os demônios estão acorrentados (encarcerados).  [Durante este mês] há uma noite que é melhor do que mil meses. Aquele que não beneficiar do seu bem  estará de fato desprovido [de algo maior]. Narrado por Ahmad

Abu Hureira narrou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “Quem jejuar o mês de Ramadan, com a fé e procurando apenas o prazer e a recompensa de Allah terá todos os seus pecados passados perdoados.” Ahmad

As Conseqüências de Quebrar o Jejum de Ramadan

Abu Hureira relatou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) disse “Quem quebrar o seu jejum durante o mês de Ramadan sem portanto ter uma  razão válida de entre aquelas estabelecidas por Allah, mesmo que jejuasse perpetuamente, não iria compensar o dia em que quebrou o seu jejum.” Abu Daud, Ibn majah, At-Tirmidhi

A Chegada de Ramadan

Este acontecimento tem lugar mediante a observação de uma nova lua, ainda que a mesma tivesse sido vista por uma pessoa justa apenas.

Ibn Umar disse: “as pessoas estavam a procura de uma nova lua e quando eu disse ao Profeta que a tinha observada, ele começou a jejuar e ordenou as pessoas a assim proceder.”

Abu Hureira relatou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) instruiu o seguinte:  “Observam o jejum quando verem-na ( nova crescente da lua) e concluam o jejum [no fim do mês] quando observarem-na.  Se estiver escondida de vos, aguardem até quando passar os trinta dias do mês de Sha’aban.” Relatado por al-Bukhari e Muslim

Locais Diferentes

De acordo com a opinião da maior parte dos conhecedores, não importa se a nova lua for vista num local diferente. Por outras palavras, depois de se observar a nova lua num dado local, torna-se obrigatório a Muçulmanos [residentes onde esta nova lua foi vista]  para que comecem a jejuar, na medida em que o Profeta afirmou: “ Jejuam quando observarem-na e quebram-na quando observarem-na.” 

Componentes Fundamentais do Jejum

Eis os pilares fundamentais de jejum que devem ser observados para que o mesmo seja válido  e aceite.

Abster-se dos atos que quebram o jejum: isto porque Allah afirmou: “Comei e bebei até à alvorada, quando podereis distinguir o fio branco do fio negro. Retornai, então ao, jejum, até ao anoitecer, e não vos acerqueis delas enquanto estiverdes retraídos nas mesquitas.”

O Profeta esclareceu ao companheiro que  o significado ‘fio branco do fio negro “ trata-se da escuridão da noite e da clareza do dia.”

Intenção:  Allah o exaltado asseverou o seguinte: “Não foram ordenados senão que adorassem a Allah somente, tornando a religião sinceramente para Ele.” O Profeta também afirmou: “as obras são avaliadas de acordo com as intenções por detrás delas e cada qual será recompensado segundo o que tencionou fazer.”

Desta feita, a intenção de jejuar deve ser feita na noite precedente de cada dia  de jejum ou no mínimo antes da oração de fajr. A intenção não deve ser falada (em voz alta) mas reside no coração.  Basta um individuo lembrar [quando estiver a tomar a refeição de suhoor antes da entrada da hora de fajr] que vai jejuar em obediência à ordem de Allah o exaltado e para conquistar o Seu prazer, seguindo a tradição do Profeta Muhammad, dai a intenção terá sido formulada.

Quem deve jejuar:

Jejum é obrigatório a todo Muçulmano são, adulto e saudável que não esteja em viajem durante este mês. Quanto a mulher, ela não pode estar a menstruar ou a atravessar o período de derrame de sangue pós-parto.

O jejum de uma criança (adolescente): Embora as crianças não sejam obrigadas a jejuar, é aconselhável aos seus encarregados incentivá-las a jejuar para que comecem a familiarizar-se do jejum em tenra idade.

 Ar-Rabi’a Bint Mu’awiyyah relatou o seguinte: “O Apóstolo de Allah  enviou um homem, na manhã do dia de Ashurah [durante o qual se recomenda observar o jejum] às casas dos Ansar, dizendo: ‘Quem jejuou de manhã deve continuá-lo. Quem não jejuou esta manhã deve passar a tarde a jejuar. Depois deste anúncio, jejuamos, e fizemos com que as nossas crianças também jejuassem. Íamos a mesquita e fazíamos brinquedos de algodão para que elas brincassem com os mesmos. Se uma das crianças começasse a chorar por causa da fome, dar-la-iamos os brinquedos para brincar até que chegasse a hora de comer.” Relatado por al-Bukhari e Muslim

Aqueles que estão permitidos a quebrar o jejum, mas que devem pagar a “expiação” por não jejuar: Pessoas idosas, pessoas com doenças crônicas; mulheres grávidas e as que estão a amamentar, caso recearem conseqüências adversas para elas ou os seus bebês, elas estão permitidas de quebrar o jejum. E elas serão obrigadas a refazer os dias que não jejuaram.

Abu Daud relatou que Ibn Abbas teceu o seguinte comentário relativamente ao versículo: “Mas quem, só à custa de muito sacrifício, consegue cumpri-lo (o jejum), vier a quebrá-lo, redimir-se-á, alimentando um necessitado...”: Isto é uma concessão para os pessoas idosas na medida em que elas podem jejuar. Neste caso, elas estão permitidas de quebrar o jejum e alimentar um necessitado por dia.

Refazer os Dias de Jejum em Falta

Aqueles que devem refazer só dias de jejum em falta:

(1) Doentes e viajantes: É permitido a todos que estão doentes (mas não os que têm doenças crônicas) e aos viajantes que quebrem o seu jejum durante o mês de Ramadan, mas deverão refazer os dias de jejum em falta. Allah afirma: “quem de vós não cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias”

É importante sublinhar que o tipo de viajem em que é permissível quebrar o jejum é semelhante à viajem durante a qual é permissível a um indivíduo de encurtar as suas orações. Ademais, o viajante só quebra o seu jejum quando iniciar ou no meio da sua viajem, como o fazia o Profeta. Da mesma forma, um doente pode quebrar o seu jejum, quando avaliar que se continuar a jejuar, a doença só irá agravar-se ou a sua cura será prolongada. Um indivíduo saudável mas com muita fome e sede pode quebrar o seu jejum quando achar que o mesmo poderá acarretar a sua morte. Ele deverá jejuar os dias em falta.

(2) Mulheres em menstruação e as que passam pela condição de derrame de sangue pós-parto:  Os conhecedores concordaram unanimemente que é obrigatório à mulheres em menstruação  e as que estão na condição de derrame de sangue pós-parto para que quebrem o seu jejum e que refaçam os dias em falta mais tardar. Al-Bukhari e Muslim relataram que Aisha disse: “Sempre que tivéssemos os nossos ciclos menstruais na era do Profeta, éramos ordenadas a refazer os dias de jejum em falta mas não éramos ordenadas de refazer as orações em falta.”

Como Jejuar

1- Tomar a refeição de suhoor antes da entrada da hora de oração de fajr: O Profeta disse acerca desta refeição: “Tomei a refeição de sohur antes da entrada da hora de oração de fajr porque nela reside muitas bênçãos (graças).” Relatado por Al-Bukhari e Muslim

a) Como deve-se fazer o sunnah da refeição de sohoor antes de fajr: Basta comer ou mesmo beber um copo de água para seguir-se o sunnah de sohoor. Abu Sa’id al-Khudri relatou que o Apóstolo de Allah(salla allahu alayhi wa sallam) disse: “A refeição de sohoor antes de fajr é abençoada, dai não devem negligenciá-la mesmo que tomassem apenas um copo de água. Na verdade, Allah e os anjos fazem preces para aqueles que tomam a refeição antes de fajr.” Relatado por Ahmad

b) O tempo de refeição de sohoor antes de fajr: Esta refeição é tomada entre o meio da noite e a alvorada. É melhor retardá-la (isto é quanto mais próxima da alvorada melhor). Zaib Ibn Thabit relatou que “Tomamos a refeição de sohoor antes de fajr com o Apóstolo de Allah (salla allahu alayhi wa sallam) e posto isto fomos orar. Ele foi questionado: Quanto tempo fizeram entre essas duas ações:?’ Ele respondeu: [o tempo que levaria para recitar] cinqüenta versículos [10-15 minutos dependendo da forma de leitura]. Al-Bukhari e Muslim

c) Dúvidas acerca do entrada do tempo da oração de fajr: Se um indivíduo tem dúvidas sobre a entrada da hora de fajr, ele pode continuar a comer  e beber até quando tiver a certeza de que o tempo de fajr chegou. Ele pode basear sua obra em suspeita ou dúvida. Allah o exaltado esclareceu esta questão : comei e bebei até que distinguem o fio negro do fio branco da alvorada.

Um homem disse ao ibn Abbas “Eu como até quando suspeitar que o tempo de comer acabou e assim paro.” Ibn Abbas comentou: “continua a comer até quando tiver a certeza do do tempo [de entrada de tempo de fajr].”

2) Precipitar-se em quebrar o jejum: O Profeta alegou o seguinte: as pessoas continuaram a fazer o bem se precipitarem de quebrar o jejum.” Al-Bukhari e Muslim. Anas relatou que o Profeta quebrava o seu jejum com as támaras frescas antes da oração. Se as mesmas não tivessem disponível, comia tâmaras secas. Se as mesmas não tivessem disponíveis, bebia água.” Relatado por Abu Daud,At-Tirmizi. Sulaiman Ibn Amr relatou que o Profeta(salla allahu aleyhi wa sallam) afirmou: “Se um de vós jejuar, ele deverá quebrar o seu jejum com tâmaras; se as tâmaras não estiverem disponíveis, então que o faça com água porque a mesma é purificante.” Hádiss narrado por Ahmad e at-Tirmizi.

3) Súplicas feitas ao quebrar o jejum e enquanto estiver a jejuar: Abdullah Ibn Amr relatou que o Profeta disse: “Um indivíduo em jejum, ao quebrar o seu jejum, fará uma súplica que não será rejeitada.” Sempre que Abdullah quebrava o seu jejum dizia: “Ó Allah, suplico-Te pela Tua Misericórdia que engendra toda as coisas, para que me perdoa.” Está confirmado que o Profeta dizia ao quebrar o seu jejum: a sede desapareceu, as glândulas estão molhadas e se for vontade de Allah, a recompensa está confirmada.

4) Abster-se de fazer as obras que não beneficiam o indivíduo em jejum: O jejum é um ação de odorarão/ veneração que aproxima um individuo junto de Allah. Allah ordenou-o com o intuito de purificar a alma e habituá-la a fazer obras virtuosas. O indivíduo em jejum deve tomar toda precaução para que não caia em obras que farão com que ele perca os benefícios do seu jejum. Assim sendo, o seu jejum fortalecerá  a sua tomada de consciência sobre e temor a Allah como Allah afirma: “Ó fiéis, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Allah”. O Profeta disse: O jejum não consiste somente em abster-se de comer e beber, mas também do discurso fútil e de uso de má linguagem. Se um de vós for insultado ou incomodado, ele deverá responder: “Estou jejuando, estou jejuando.” Relatado por Ibn Khuzaimah, Ibn Hibban e al-Hakim.

5) Utilizar a escova de dente: É aconselhável ao indivíduo em jejum que utilize uma escova ou um pau(siwak) para limpar os dentes.  Ele tanto pode usá-lo no inicio como no fim do dia.

6) Ser generoso e estudar o Al-Qur’an:  Ibn Abbas narrou que o Profeta era a pessoa mais generosa de todas e durante o mês de Ramadan, ele era ainda muito mais generoso quando se encontrava com o anjo Gabriel. Ele reunia-se com o anjo todas as noites para recitar o Al-Qur’an. Sempre que Gabriel encontrava-se com ele, ele era mais generoso do que a ventania mais rápida.” Al-Bukhari. Porque é que se aconselha ao estudo do Al-Qur’an e ao incremento de atos de generosidade sobretudo nos dias de Ramadan.

7) Empenhar-se para realizar um maior número de obras possível nos últimos dez dias de Ramadan: Al-Bukhari e Muslim reportaram a partir de Aisha que durante os dez últimos dias de Ramadan, o apóstolo de Allah acordava as suas esposas nas noites e depois se ocupavam em atos de oração.” Na versão do Muslim, “Ele empenhava-se de tal maneira em fazer muito mais obras de adoração do que em qualquer outra altura.” At-Tirmizi e Muslim

Atos Permissíveis Durante o Jejum

Deitar água sobre o corpo do próprio indivíduo e introduzir o corpo todo na água: Abu bakr Ibn Abdur-Rahman relatou a partir de uma série de companheiros que todos eles haviam visto o Apóstolo de Allah deitar água sobre a sua cabeça enquanto em jejum devido a sede ou muito calor. Narrado por Ahmad, Malik  e Abu Daud. Encontra-se narrado no al-Bukhari e Muslim que Aisha relatou que o Profeta(sallay allahu aleyhi wa sallam) acordaria de manhã em estado de jejum e iria depois efetuar ghusul (banho completo).

Aplicar/ usar Kohl ou gotas ou ainda qualquer outra coisa para as vistas: Todos esses atos são permissíveis, mesmo que uma parte do seu gosto escape a garganta, na medida em que a função dos olhos não é a de levar a comida para o estômago.

Beijar alguém para quem tem a habilidade de controlar-se: Encontra-se confirmada que Aisha disse: “O Profeta beijava e abraçava enquanto observava o jejum, por que ele tinha o melhor controle de todos vós. Umar disse: “estava excitado um dia e beijei a minha [esposa] enquanto jejuava. Fui ao Profeta(sallay allahu aleyhi wa sallam) e disse: “Hoje cometi uma coisa terrível- beijei enquanto em jejum. “ O Profeta perguntou: “O que pensa sobre limpar com a água enquanto se está em jejum?” Respondi. Nada de mal há nisto. O Profeta disse: “Então, onde  é que há problemas?

Receber a injeção:  A injeção recebida com o intuito de alimentar o corpo é proibido mas quando é para fins médicos é permissível, embora os conhecedores aconselham para recebê-la depois de quebrar o jejum. Em caso de necessidade, a pessoa pode quebrar o jejum.

O Tratamento tradicional que consiste em retirar o sangue do corpo: O Profeta(salla allahu aleyhi wa sallam) fez este tratamento enquanto em jejum. Contudo, é detestável fazê-lo na medida em que o mesmo pode enfraquecer o corpo. O mesmo acontece com a doação de sangue. É melhor fazê-lo depois de quebrar o jejum, uma vez que a pessoa pode comer logo que a extração ou transfusão de sangue foi realizada.

Limpar a boca e o nariz: Regra geral, esses atos são permissíveis, mas o seu exagero é desaconselhável. O Profeta(salla allahu alyhi wa sallam) disse o seguinte no hádiss narrado por Laqit Ibn Sabra: “Exagerem o ato de lavagem dos vossos narizes exceto quando estiverem a jejuar.” Relatado por Nassai, Abu daud, at-Tirmizi, e Ibn Majah.

É permissível provar a comida:

Provar a comida quando a pessoa está cozinhando é permissível desde que a pessoa não engula-na.

O indivíduo em jejum pode comer, beber e ter relações sexuais até a entrada de tempo de oração de fajr: Se alguém tiver comida na sua mão ou na boca logo que o fajr começar ou ao ouvir o azan –convocação à oração- ele deve comer o que tiver na boca ou na sua mão e posto isto não deve comer mais nada. Da mesma forma, se estiver a ter relações sexuais, ele deve parar logo que ouvir o azan.

Ações que Invalidam/ Nulificam o Jejum

As ações que nulificam o jejum dividem-se em dois grupos: (a) aquelas que nulificam o jejum e requerem que o dia em que o jejum ficou nulificado seja repetido, e (b) aquelas que nulificar o jejum, e que para além de requere a sua repetição, exige também uma expiação.

A categoria (a) faze-se da forma como segue:

Comer ou beber intencionalmente: Se alguém come ou bebe por esquecimento, erro, ou por coerção, não deve repetir este dia mais tarde tão pouco fazer a expiação. Abu Huraira relatou que o Profeta disse: “Quem por esquecimento comer e beber ele está a jejuar, uma vez que foi Allah Quem alimentou-lhe ou deu-lhe algo de beber.” Ele disse mais: “Quem quebrar o seu jejum durante o mês de Ramadan por esquecimento não tem que refazê-lo mais tarde tão pouco pagar a expiação.” Hádiss relatado por Abu Hanifa.

Ibn Abbas relatou que o Profeta disse: Allah não pedirá contas a esta nação por tudo quanto for feito por engano/erro, esquecimento ou sob coerção.” Relatado no Ibn Majah, at-Tabarani, e al-Hakim.

Vomitar deliberadamente: Se alguém vomitar involuntariamente, ele não tem que repetir o jejum mais tarde tão pouco pagar a expiação. Abu Hureira narrou que o Profeta (salla allahu alyhi wa sallam) afirmou: “Quem sentir-se dominado e forçado a vomitar, não tem que repetir o dia.” Pelo contrário, quem vomitar deliberadamente deve repetir o dia. Relatado por Ahmad, Abu Daud, at-Tirmizi, Ibn Majah etc.

A menstruação e o derrame de sangue pos-parto: Mesmo se o sangue aparecer próximo de por de sol, o jejum deste dia torna-se inválido e o mesmo deve ser repetido. Este é o consenso dos conhecedores a respeito desta questão.

Ejaculação de esperma: A ejaculação nulifica o jejum mesmo que tivesse originado do beijo, abraço ou masturbação (a mesma é proibida), e o mesmo deve ser repetido. Se a ejaculação aconteceu por olhar ou pensar muito sobre algo, neste caso, o jejum fica inválido e o indivíduo deve arrepender-se e refazer o jejum um outro dia.

Se alguém tiver a intenção de quebrar o seu jejum enquanto jejuando, ele terá quebrado o seu jejum mesmo que não tenha comido ou bebido nada: Isto porque a intenção é um dos pilares de jejum, e conseqüentemente, se alguém muda a sua intenção, ele terá nulificado o seu jejum. Todavia, se a pessoa tiver a determinação de quebrar o jejum e ao chegar na cozinha ou na geladeira não encontra a comida, neste caso o jejum está quebrado, e ele deve arrepender-se e refazer o jejum num outro dia.. Quando a pessoa tenciona quebrar o jejum e ao chegar na cozinha ou geladeira, ele muda de Ideia e reconhece o fato de estar sob olhar atento de Allah e não quebrou o jejum, então o seu jejum está válido.

Como Repetir os Dias de Jejum em Falta

Allah o exaltado afirma: “quem de vós não cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias...”

Jejuar o mesmo número de dias em falta não tem que acontecer logo a seguir do Ramadan uma vez que o tempo para refazê-lo é extremamente amplo e um indivíduo pode repeti-lo em qualquer altura. Ibn Umar relatou que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “se quiser podes repeti-los em dias não consecutivos e se quiser em dias consecutivos.” Relatado por ad-daraqutni

Quem morrer e ainda tem alguns dias por refazer: Todos os conhecedores são unânimes em afirmar que quem morrer e tiver deixado alguns dias de jejum por repetir ou algumas orações obrigatórias, os seus encarregados ou herdeiros poderão refazê-los para ele. Mas os mesmos não são obrigados a fazê-lo.

Ahmed, al-Bukhari e Muslim recordaram de Aisha que o Profeta(salla allahu wa alayhi wa sallam) disse: “Se alguém morrer e tiver alguns dias de jejum para jejuar, neste caso o seu encarregado deverá jejuar no seu lugar.”

A Noite de Qadr (Noite de Decreto - Noite Abençoada)

As suas virtudes:  A noite de qadr é a noite mais virtuosa do ano, dada a asserção de Allah o exaltado: Revelamo-lo(o Alcorão Sagrado) na noite de poder [isto é qadr]. ...

É preferível procurar esta noite: É preferível procurar esta noite durante os dez últimas noites de Ramadão, como o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) envidava esforços no sentido de procurar esta noite durante essas dez últimas noites.

Que noite é esta? Os conhecedores tem opiniões variadas sobre o assunto. Uns dizem que esta noite deve ser procurada nos dias impares; outros afirmam que a mesma aparece  na 23ª noite, outros na 25ª noite, outros ainda na 27ª noite. Mas a verdade é que Allah escondeu esta noite para que os crentes envidem os esforços no sentido de obter mais recompensa nos últimos dias dias de Ramadan e para que esses esforços não fossem dirigidos apenas para uma dada noite. Allah é sabe melhor.

Orar e fazer súplicas durante esta noite: al-Bukhari e Muslim narraram a parte do Abu Huraira  que o Profeta disse: “Quem orar durante a noite de qadr coma fé e esperança da sua recompensa terá todos os seus pecados passados perdoados.”Quanto a súplica a ser feita nesta noite, Aisha disse: ‘Perguntei ao apóstolo de Allah(salla allahu alayhi wa sallam) : ‘Ó Apóstolo de Allah! Se deparar-me com a noite de qadr, o que deverei dizer nesta noite?’ Ele respondeu: Dizes: “O Allah! És o remissor e gosta de perdoar, portanto perdoa-me.” Relatado por Ahmad, Ibn Majah e At-Tirmizi.

I’Tikaf ou Retiro na Mesquita

O seu significado: I’tikaf significa :agarrar-se a algo, mal ou bom e impedir ou abster-se de todas as outras coisas.

A sua legitimidade: O Profeta tinha o hábito de efetuar i’tikaf nos dez últimos dias de todos os Ramadan. No ano que morreu, ele efetuou o retiro durante vinte dias. Relatado por al-Bukhari, Abu Daud, e Ibn Majah.

A duração de i’tikaf: A duração de retiro depende de quem o faz. Se o retiro acontecer durante os dez últimos dias de ramadan, este será a sua duração, mas a pessoa pode prescindir deste tempo e sair antes do Ramadan como fez O Profeta vez como conta Aisha que sempre que o Profeta intencionou fazer o retiro dos dez últimos dias de Ramadan, oraria de manhã e depois iniciaria o seu retiro. Um dia queria fazê-lo e então ordenou para que uma tenda fosse levada na mesquita a seu favor. Aisha disse, quando eu vi isto, também ordenou para uma tenda fosse levantada para mim na mesquita e depois algumas das mulheres do Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) também seguiram. Quando o Profeta orou na manhã viu todas essas tendas e depois perguntou : o que é isto? Elas responderam: Estamos a procura de obedecer a Allah e a seu Apóstolo. Posto isto, ele ordenou para a sua tenda e as de suas esposas fossem todas retiradas da mesquita e ele adiou o se retiro até ao dez primeiros dias do m de Shawal.

As regras de Itikaf: I’tikaf deve ser cumprido quando a pessoa permanece na mesquita com a intenção de aproximar-se de Allah. É melhor observá-la no mês de Ramadan. Se a pessoa não ficar em mesquita ou não tiver a intenção de agradar a Allah, isto não pode ser considerado de I’tikaf. O fato de que a existência de intenção é obrigatória reside na afirmação de Allah o exaltado: “Não foram ordenados senão que adorassem a Allah sozinho, tornando a religião sinceramente para Ele.” O Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) também disse: “Todas as obras são recompensadas de acordo com a intenção por detrás das mesmas.”

O inicio e fim de I’tikaf: Já foi dito atrás que sempre que a pessoa deseja efetuar o retiro (I’tikaf) com a intenção de aproximar-se de Allah, ele deve entrar e permanecer na mesquita durante o tempo que ele desejar. Se o indivíduo tiver a intenção de fazê-lo durante os últimos dez dias de Ramadan, ele deve iniciá-lo antes do por do sol, uma vez que a noite começa depois de por do sol e termina com a alvorada. Al-Bukhari e Muslim recordaram de Abu Sauid que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) havia afirmado: “Quem quiser fazer o I’tikaf comigo deve fazê-lo durante os dez últimas (noites).”

O que é preferível à pessoa que tiver a fazer I’tikaf fazer? É aconselhável à quem tiver a observar o I’tikaf fazer um maior número possível de atos de adoração voluntárias e ocupar-se tanto quanto poder nas orações, recitação de Al-Qur’an, na glorificação e enaltecimento de Allah, exaltando a Sua unicidade Sua grandeza, rogando pela remissão dos teus pecados, enviando saudações ao Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam), e fazendo todas as outras obras que o aproxima de Allah.

É detestável engajar-se em assuntos que não lhe diz respeito. O Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “Afastar-se do que não diz respeito a uma pessoa faz parte da sua boa observância de Islam.”

O que é permitido fazer no I’tikaf:

(1) Deixar o seu lugar na mesquita e ir acompanhar a sua esposa uma vez que o Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) fez isso coma sua esposa Safiyah. Mas isto só deve acontecer quando a pessoa achar que pode ser perigosa ela voltar sozinha. (2) Pentear ou cortar o cabelo, cortar as unhas, limpar o corpo, vestir-se bem ou meter perfume no corpo. (3) é possível a pessoa sair para realizar uma dada necessidade, como por exemplo ir buscar a sua refeição, participar na congregação de Sexta-Feira, ou na cerimônias fúnebres, visitar um doente ou o seu familiar sobre assuntos de extrema necessidade (mas deve ficar de pé).

Ações que nulificam o I’tikaf:

(1) abandonar a mesquita deliberadamente sem nenhuma necessidade. (2) abandonar Islam. (3) perder a sanidade mental devido ao enlouquecimento ou bebedeira; inicio de menstruação ou derrame de sangue pos-parto. (4) ter relação sexual. Allah o exaltado sabe melhor e a paz e bênçãos de Allah esteja com o seu Profeta.

O Jejum Voluntário

O Profeta(salla allahu aleyhi wa sallam) exortou-nos para que jejuássemos nos dias a seguir enumerados:

Os seis dias do mês de Shawwal (o que vem logo a seguir do mês de Ramadan): O Profeta disse no hádiss relatado por Abu Ayyub al-Ansari o seguinte: “Quem jejuar durante o mês de Ramadan e em seguida seis dias do mês de Shawall terá a recompensa de como se tivesse jejuado o ano todo.” Relatado por todos os livros de hádiss com a exceção do al-Bukhari e an-Nassa’i.

Os dez primeiros dias de Dhul-Hijjah (durante o qual se efectua a Hajj [Peregrinação]), particularmente no dia de Arafat, para aqueles que não estão a efetuar a peregrinação: Abu Qatadah reportou que o Apóstolo de Allah (salla allahu aleyhi wa sallam) disse: “Jejuar no dia de Arafat é uma expiação para dois anos, o ano que o precede e o seguinte. Jejuar no dia de Ashurah (data em que Allah o exaltado salvou o Profeta Moíses e os filhos de Israel do Faráo e suas tropas) é uma expiação para o ano precedente.” Relatado por todos os livros de hádiss com a exceção de al-Bukhari e at-Tirmidhi

Jejuar durante o mês de Muhar-ram (é neste mês que Allah o exaltado salvou o Moises e os filhos de Israel), em particular no dia de Ashu’rah e os dias imediatamente precedente e posterior a este: Ibn Abbas relatou o seguinte: “O Profeta deslocou-se a Madinah e encontrou os Judeus a jejuarem no dia de Ashur’ah. Dirigindo-se a eles, perguntou: ‘Porque é que estão a jejuar?’ ‘Eles responderam: ‘Um Grande Dia.!’ Allah salvou o Moises e as tribos de Israel dos seus inimigos neste dia e portanto, Moises jejuava neste dia.’ O Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) replicou: ‘Nós temos mais direito ao Moises do que vós.’ Dai ele jejuou naquele dia e ordenou as pessoas para que jejuassem também neste dia.” Relatado por al-Bukhari e Muslim

Jejuar maior parte do mês de Sha’ban (o mês que precede o de Ramadan): O Profeta jejuava maior parte do mês de Sha’ban. Aisha disse: “Nunca vi o Apóstolo de Allah a jejuar todo o mês exceto no mês de Ramadan, e nunca vi-lhe a jejuar muito como o fazia no mês de Sha’aban. Relatado por al-Bukhari e Muslim.

Jejuar nas Segundas e Quintas Feiras: Abu Hureria reportou que o Profeta jejuava muito nas segundas e quintas feiras. Quando foi perguntado porque fazia isto, respondeu: “As obras são apresentadas [a Allah] nas Segundas e Quintas-Feiras. Allah perdoa cada Muçulmano ou fiél, salvo para aqueles que se boicotam um aos outros.” Relatado por Ahmad.

Jejuar três dias de cada mês (do calendário Islâmico): Abu Dharr al-Ghafari narrou que o Profeta ordenou-nos para jejuar três dias de cada mês isto é, nos dias da lua cheia ( o 13º, 14º, e 15º dias do calendário lunar) Jejuar um dia sim um dia não: Abu Salama Ibn Abdrahman reportou do Abdullah Ibn Amr que o Profeta disse-lhe: “Fui informado que te levantas a noite toda em oração e jejuas durante o dia!’ Abdullah respondeu: ‘Sim, Ó Apóstolo de Allah. O Profeta disse: “ Jejua e interrompa o jejum, ora e durma, porque o teu corpo, a tua esposa e os teus hóspedes tem direitos sobre si. Basta jejuares durantes os três dias de cada mês.” Abdullah disse: ‘Queria ser mais estrito para comigo, disse-lhe: “tenho força para fazer muito mais, ó Apóstolo de Allah!’ O Profeta (salla allahu aleyhi wa sallam) replicou: ‘Neste caso jejua três dias por semana.’ Abdullah respondeu: ‘Tenho força para ainda mais!’ O Profeta disse: “Jejua o jejum do David e não faças mais do que isto! Abdullah inquiriu: ‘O que é o jejum de David?’ O Profeta respondeu-lhe: ‘Ele jejuava um dia e não jejuava no outro.” Ahmad e outros relataram o hádiss.

É permissível ao indivíduo que estiver a observar o jejum voluntário de quebrá-lo: Umm Hani relatou que o Profeta(salla allahu aleyhi wa sallam) entrou na sua casa no dia da conquista de Makkah. Ele foi oferecido algo para beber e tomou-o. E depois ofereceu parte da bebida à Umm Hani e ela disse: ‘estou a jejuar.’ O Profeta disse: ‘ Quem estiver a observar o jejum voluntário é responsável dele próprio. Se tu quiseres podes jejuar, se quiseres podes quebrar o teu jejum.’ Relatado por Ahmad.