Preparando o Caminho!

Louvado seja Allah, o Senhor do Universo, que revelou o livro como orientação para humanidade, no qual disse:

“Ó crentes, resguardem suas almas! Se seguirem a orientação correta, em nada poderão prejudicá-los aqueles que se desviam. Todos retornarão a Allah, o qual lhes mostrará a verdade sobre tudo que fizeram.”. (al ma'ida, versículo 105)

Que a paz e benção de Allah estejam com o Profeta Muhammad, seus familiares e companheiros. Narrado por Nafi: ibn Umar disse que o Profeta disse: “Façam o oposto do que os descrentes fazem: deixem crescer as barbas e cortem os bigodes bem curtos.” (Sahih Bukhari, volume 7, livro 72, número 780), assim, o Profeta estimulava os muçulmanos a se diferenciarem dos descrentes inclusive na aparência. Narrado por an’Numam ibn Bashir que o rasulullah disse: “Vocês vêem os crentes sendo misericordiosos uns com os outros, demonstrando amor uns pelos outros e sendo generosos, parecendo um só corpo, então, se uma parte do corpo não está bem, todo o corpo compartilha a insônia e a febre com ele.” (Sahih Bukhari, vol. 8, livro 73, número 40), assim, o Profeta ressalta que se os indivíduos estão com problemas, toda comunidade compartilhará desses problemas.

Artigo de Sayed Qutb: “Preparando o Caminho”

"Antes de um muçulmano ir para o campo de batalha, ele precisa primeiro lutar uma grande batalha consigo mesmo, contra Shaytan - contra seus próprios desejos e ambições, seus interesses pessoais e inclinações, os interesses de sua família e de sua nação; contra qualquer coisa que não pertença ao Islam, contra todos os obstáculos que surjam no caminho da adoração a Allah e a implementação da Autoridade Divina na terra, devolvendo esta autoridade para Allah, e tirando-a dos usurpadores rebeldes.

Aqueles que dizem que a jihad islâmica serviu meramente para defesa da “pátria do Islam” (dar-ul-Islam), diminuem a grandeza do modo de vida islâmico e consideram-no menos importante que suas “pátrias”. Este não é o ponto de vista islâmico e tal ponto de vista é uma criação da idade moderna e é completamente estranho à consciência islâmica. O que é aceitável para consciência islâmica é a sua crença, o modo de vida que esta crença prescreve e a sociedade na qual se vive de acordo com este modo de vida. O solo da pátria por si não tem valor ou peso. Do ponto de vista islâmico, o solo da pátria só adquire valor quando nele a autoridade de Allah é estabelecida e a orientação de Allah é seguida, e então ele se torna uma fortaleza para a crença, um lugar que, pelo modo de vida ali aplicado, pode ser intitulado dar-ul-Islam, um centro para o movimento pela total libertação do homem.

Claro que neste caso a defesa da dar-ul-Islam é a defesa da crença islâmica, do modo de vida islâmico e da comunidade islâmica. De qualquer forma, esta defesa não é o objetivo final do movimento islâmico de jihad, mas um meio para o total estabelecimento da Autoridade Divina com a qual a pátria se torna o quartel-general para o movimento do Islam a partir de onde ele deve então se espalhar pela terra inteira, para toda humanidade, uma vez que o objetivo desta religião é toda humanidade, e sua esfera de atuação é a terra inteira.

Como descrevemos anteriormente, há muitos obstáculos práticos para o estabelecimento da Lei de Allah na terra, como o poder do Estado, o sistema social e as tradições, e, em geral, todo o meio ambiente humano. O Islam usa a força apenas para remover estes obstáculos de forma que não reste nenhuma barreira entre o Islam e os indivíduos humanos, e então, ele se dirigirá aos seus corações e mentes, depois de tê-los libertado destes obstáculos materiais, deixando-os livres para aceitá-lo ou rejeitá-lo.

Nós não devemos nos deixar enganar ou constranger com os ataques dos orientalistas a respeito da origem da jihad, nem perder a auto confiança sob a pressão das presentes condições e o peso das grandes potências do mundo, numa extensão que nos faça tentar encontrar as razões da jihad islâmica fora da natureza desta religião, tentando mostrar que ela foi uma medida defensiva sob condições temporárias. A necessidade da jihad continua e continuará quer estas condições existam ou não.”

A revitalização da religião começa com a revitalização do indivíduo muçulmano:

Cada um de nós deve buscar o aprimoramento individual e tentar aplicar da melhor maneira possível o padrão ideológico e comportamental islâmico, tentando evitar ao máximo a assimilação de idéias e a aplicação de modos de vida estranhos à religião.

Temos que buscar na própria crença islâmica as respostas para os questionamentos individuais e coletivos, temos que resolver os problemas que surgem – sejam individuais, sociais ou políticos – segundo as propostas do Islam e através de sua metodologia, sem recorrer a fontes não-islâmicas, evitando a contaminação cultural.

Devemos ter em mente que a crença estabelece o padrão ideológico e comportamental, criando uma identidade que faz dos muçulmanos uma só nação:

A nação de todos os muçulmanos é o Islam, e o modo de vida a ser aplicado é o modo de vida islâmico, e o exemplo a ser seguido é o do Profeta e das primeiras gerações, para todos os muçulmanos em todos os lugares do mundo. Não podemos esquecer as palavras do rasulullah quando ele disse: “Quem imita um povo se torna um deles”, de forma que o ato de imitar os kafirun enfraquece nossa fé podendo até chegar ao extremo de nos levar à descrença! Assim, é primordial o esforço de cada um no sentido de aplicar o Islam e representá-lo o mais fielmente possível.

Os muçulmanos são o espelho do Islam, e cada um de nós deve tentar refletir adequadamente a crença islâmica. Muitas distorções na visão que os não muçulmanos têm do Islam são resultado dos desvios de conduta dos próprios muçulmanos. É responsabilidade de cada um representar adequadamente esta crença, de forma a não dar margem para interpretações errôneas por parte daqueles que não conhecem esta religião.

Com cada indivíduo trabalhando dentro do que está ao seu alcance, num processo de aprimoramento contínuo, com o objetivo de aplicar o Islam na íntegra, a formação de uma sociedade islâmica será o resultado natural do desenrolar deste processo.

Que a paz e benção de Allah(sut) estejam com o Profeta Muhammad, seus familiares e companheiros.