Para Ser Atendido

Dentre as mais nobres maneiras de adoração temos o "duáa", o ato de suplicar, rogar, implorar, pedir a Deus.

É uma adoração na qual o muçulmano roga a Deus um bem, seja este material ou espiritual, mundano ou após a morte. E para ser atendido deve ser feito com sinceridade e devoção, abandonando o que pode ser uma barreira entre este duáa e seu atendimento por Deus.

Os nossos sábios dizem que o duáa, sem dúvida, será atendido baseando-se no hadiss do profeta Muhammad no qual ele diz: "Qualquer muçulmano que faça um duáa que não contenha pecado ou rompimento dos laços de sangue Deus lhe dará uma de três: "Ou apressa aquilo que pediu. Ou a guarda para retribuí-lo na última vida. Ou desviará dele algum mal compatível à sua súplica". Os seus companheiros disseram: "Então, aumentaremos (nossas súplicas)". O profeta disse: "Allah aumenta mais ainda (no atendimento de vossas súplicas)".

Este duáa será atendido e terá o seu valor reconhecido a não ser que haja algo que impeça o seu atendimento imediato, sua conversão em outro bem concedido ou retribuição no dia do juízo relatados acima no hadiss do profeta Muhammad, tudo de acordo com a sapiência de Deus, com a qual dirige o universo e concede suas dádivas a quem lhe apraz.

E podemos resumir estas "barreiras" entre o duáa e seu atendimento ou "os impedimentos da aceitação do duáa" como segue: 

A. O não atendimento a Deus. Quando Deus prometeu atender à súplica a Ele dirigida disse: *Quando Meus servos te perguntarem por Mim, dize-lhes que estou próximo e ouvirei o rogo do suplicante quando a Mim se dirigir. Que atendam o Meu apelo e que creiam em Mim, a fim de que se encaminhem* (02:186)

Ao dizer que ouve e atende o suplicante colocou uma condição: O atendimento às suas ordens cumprindo as obrigações por Ele estabelecidas e abandonando as proibições por Ele esclarecidas. Após prometer atender quem a Ele se dirige disse: Que atendam o Meu apelo e que creiam em Mim.

Assim sendo, o não cumprimento dos deveres, os pecados e a insistência no erro impedem que tal súplica chegue a ser atendida. Da mesma forma, a benfeitoria, as ações recomendadas por Allah podem ser um motivo do atendimento de Deus, sendo o duáa de um servo benfeitor e observador das normas de Deus elevado aos céus e acolhido pelo Senhor dos céus e da terra... *Quem ambiciona a glória, saiba que a glória pertence integralmente a Allah. Até a Ele ascendem as puras palavras, e exalta as nobres ações* (35:10)

Como exemplo e lição, o profeta Muhammad conta-nos a história de três homens cujas preces foram atendidas pela vida reta e exemplar que tinham. Quando em viagem, precisaram refugiar-se em uma gruta,e acabaram presos dentro dela após uma rocha ter rolado da montanha e fechado a saída da gruta. Decidiram rogar à Deus citando o que têm feito de bem, quiçá Deus os salvasse daquela situação. Um citou a sua benevolência aos pais, o segundo o seu arrependimento do adultério e o terceiro o seu cumprir com o pagamento de seu empregado, todos dizendo no fim de suas preces: "Deus meu, se o que fiz foi em busca do Teu beneplácito, então alivia-nos desta situação". Foi quando o terceiro finalizou seu duáa, a rocha afastou-se de vez e saíram caminhando. (o hadiss na sua forma integral como foi relatado pode ser encontrado no livro "riadhussalihin", em seu primeiro capítulo).

Para que este duáa seja realmente um conforto, tenha o seu peso na educação da alma e seja atendido, o servo deve de antemão atender ao chamado de Deus, como vemos nos textos acima, entre versículos alcorânicos e ditos proféticos.

Deus e Seu mensageiro também chamam a atenção do muçulmano para que não apelem a Deus apenas na hora da necessidade, pois desta maneira este duáa não constitui uma adoração, mas pode ser sim, uma malfeitoria caso o indivíduo não se arrependa. Sobre este fato, Deus, o Altíssimo, diz: E se o infortúnio atinge o homem, ele Nos implora, quer esteja deitado, sentado ou em pé. Porém, quando o libertamos de seu infortúnio, íei-lo que caminha como se não Nos tivesse implorado pelo infortúnio que o atingia. Assim foram embelezados os atos dos transgressores (10:12), E o mensageiro de Deus disse: "Quem deseja que Deus lhe atenda nas adversidades, que intensifique o seu duáa na bem estar".E aconselhando a Ibn Abbas e a todos os jovens, disse: "Guarde a Deus e Lhe encontrarás ante de ti. Recorda-te de Deus no bem estar e Ele recordará de ti na adversidade (no apuro)..." .

  B. O sustento ilícito. Pode ser que um indivíduo levanta as mãos aos céus e roga a Deus a sua misericórdia e o seu perdão, mas insiste em desafiar a Deus em outras circunstâncias. Sustenta-se de bens ilícitos, come e veste daquilo que chegou até ele por caminhos ilegais, ou daquilo que Deus proibiu expressamente que ingira ou vista. Esta ilicitude é uma barreira que impede o duáa de ser atendido. O profeta Muhammad diz: "Allah é bom e só aceita o bem. E ordenou os crentes o mesmo que ordenou aos mensageiros, dizendo: mensageiros desfrutai de todas as dádivas e praticai o bem, porque sou Sabedor de tudo quanto fazeis* (23:51). E disse, Altíssimo seja: crentes, desfrutai de todo o bem com que vos agraciamos e agradecei a Allah, se só a Ele adorais* (02:172). Depois, o profeta, mencionou o homem que, em longas viagens, despenteado e sujo, levanta suas mãos aos céus rogando: "Ó Senhor! Ó Senhor!" E sua comida é ilícita, sua bebida é ilícita, sua vestimenta é ilícita e se alimentou com o ilícito! Como quer ser atendido!?".

  Ibn Abbas relata que foi recitado o seguinte versículo na presença do profeta Muhammad: humanos, desfrutai de tudo que a terra tem de lícito e benéfico* (02:168). Então, Saad ibnAbi Uaqqas levantou-se e disse: "Ó mensageiro de Allah, peça a Deus para que eu tenha minhas súplicas atendidas". O mensageiro respondeu-lhe: "Saad, Beatifique seu alimento e serás atendido. Juro por Aquele em cujas mãos está a alma de Muhammad, o servo atira o "pedaço de pão" ilícito em seu estômago e, (conseqüentemente) não lhe são aceitas as ações de quarenta dias. E qualquer servo cuja carne brotou do pecado, o fogo é mais apropriado para ele".

C. Abandonar a recomendação do bem e a proibição do ilícito. Recomendar o bem ensinando e aconselhando o próximo assim como proibir o mal e o ilícito é um ponto básico da caminhada do homem nesta vida. O simples praticar do bem e do lícito e evitar do mal e do ilícito não bastam para formar uma sociedade pura e próspera. Sendo o indivíduo um cidadão reto e benfeitor na sociedade sem propagar o bem que carrega, o mal e o ilícito prevalecerão, pois enquanto este é propagado o bem está escondido e resumido naquele indivíduo que não procura meios para passá-lo a outrem, fazendo da fé e da religião algo estranho e desconhecido. Para que isso não aconteça, o Alcorão Sagrado ao lado dos exemplos da vida do profeta Muhammad ordenou a propagação do bem que carregamos e mostrou-nos a sua importância, repetindo o termo "al amru bilmaárufi uannahiu án al munkar" diversas vezes.

Disse Allah, o Altíssimo: *Os crentes e as crentes são unidos uns aos outros; recomendam o bem, proíbem o ilícito, praticam a oração, pagam o zakat, e obedecem a Allah e ao Seu mensageiro...* (09:71). E disse também: *E que surja de vós um grupo que recomende o bem, dite a retidão e proíba o ilícito. Este será um grupo bem aventurado* (03:104). E em uma pequena surata do Alcorão, Allah nos indica o caminho da salvação ... a fé, a prática, a recomendação e conselho no bem e a paciência... *Pela era, que o homem está em perdição, salvo os crentes que praticam o bem, aconselham-se na verdade e recomendam, uns aos outros, a paciência* (103).

Esta recomendação do bem que carregamos é uma proteção para a sociedade dos males que podem atingi-la e constituir um ataque e desafio às normas de Deus,. E quando o mal e o ilícito prevalecem à sociedade sofre as conseqüências. Exemplos destas conseqüências não faltam, vivemos hoje numa sociedade selvagem que não conhece os direitos e deveres, destruição da família, sangue, morte, miséria,guerra, injustiça, cujas causas são o roubo, adultério,nudez, prostituição, não observação das leis de Deus, desrespeito aos pais e à família.

Ibn Abbas, o ilustre companheiro do profeta Muhammad que o acompanhou desde sua infância e é considerado uma fonte na interpretação do Alcorão, disse: "O povo no qual surge o roubo, Deus introduzirá o medo em seus corações; o povo no qual se espalha o adultério, Deus aumentará a morte entre eles; o povo que enganar no peso e na medida, Deus cortará deles o sustento; o povo que governar sem a verdade se difundirá entre eles o sangue; o povo que não cumprir a palavra com a palavra, Deus fará prevalecer sobre eles o inimigo" . (relatado por Málik)

Sem dúvidas, esta sociedade influencia na vida espiritual e na educação tanto espiritual, como social, mental, física, etc.. O indivíduo que vive numa sociedade pura e limpa estará mais propenso e inclinado ao bem e sua alma estará mais confortada e tranqüila, enquanto que o indivíduo que vive numa sociedade impura e imoral, terá mais dificuldades em ter uma vida espiritual saudável e uma conduta exemplar. E a responsabilidade e a obrigatoriedade de fazê-lo pertencem a ambos, estejam onde for e vivam onde for, sendo que os méritos deste pode ser maior que o daquele que tem todas as portas abertas e os caminhos facilitados. Enquanto este precisa abrir muitas destas portas e tornar os caminhos mais fáceis após terem sido difíceis, e para isto necessita do princípio da "recomendação do bem e proibição do ilícito".

Esta recomendação quando abandonada o ilícito prevalecerá, e a sociedade terá uma aparência de desrespeito a Deus que a criou, e nela se generalizarão os pecados e suas conseqüências,prevalecendo a corrupção e o desrespeito. E além disso, teremos as nossas súplicas barradas e desatendidas, fato pelo qual expomos este assunto aqui, pois estamos a citar a adoração à Deus, e dentre as formas de adoração: o " duáa".

Disse o profeta Muhammad: "Juro por aquele que em cujas mãos está a minha alma, recomendareis o bem e proibireis o ilícito, ou Deus enviará um castigo sobre vós e depois, rogarão (pedirão) a Ele e não vos atenderá".

Também é relatado por Aíchah, esposa do mensageiro de Allah) : "O profeta entrou em sua casa, e logo percebi em sua face que algo aconteceu. Abluiu-se e não falou com ninguém. Fiquei "colada" à "hujrah"( dentro de sua casa, que é junto à mesquita) para ouvir o que iria dizer, quando sentou no "minbar" ( púlpito), louvou à Deus, O elogiou e disse: "Ó humanos, Allah, o Altíssimo diz para vós: "recomendem o bem e proíbam o mal antes que rogais e não vos atenderei, e peçam-Me e não vos darei, e roguem a vitória e não vos farei vencer", depois não acrescentou mais nada e desceu" .

No meio de tantas discussões e opiniões que envolvem o assunto da mulher, a mulher muçulmana ganha destaque e o mundo não muçulmano procura saber mais sobre a religião islâmica, cujos seguidores são acusados de opressores da mulher e, mesmo assim, o Islam cresce mais entre as mulheres.

No meio das trevas que envolviam o mundo, a revelação divina ecoou no vasto deserto da Arábia com uma nova, nobre e universal mensagem para a humanidade, o Alcorão Sagrado: *Ó humanos, temei o vosso Senhor que vos criou de um só ser, do qual criou sua companheira e, de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres* (4:1), *Ele (Deus) foi Quem vos criou de um só ser e, do mesmo, plasmou sua companheira para que convivesse com ela...* (7:189).

Este é um dos muitos versículos do Alcorão Sagrado, que para os muçulmanos, foi revelado a Muhammad há aproximadamente quatorze séculos, após Deus ter revelado o evangelho para Jesus e a Tora para Moisés. No Alcorão e no exemplo da vida do profeta Muhammad, os muçulmanos têm o seu código de vida, inclusive a mulher muçulmana, que tem esta particularidade: tem um modo de vida condicionado á vontade de Deus que a criou, por isso vemos que as recomendações do Sagrado Alcorão pelos direitos da mulher não são resultados de reivindicações dela própria ou de movimentos sociais, mas são e foram de desígnio e ordem emanada de Deus e frutos da justiça divina.