Como Abraão chegou a Arábia?

Há quatro mil anos havia um rei próspero na terra agora chamada Mesopotâmia. A língua lá falada não era árabe, mas sim um tipo de pérsico antigo. As pessoas adoravam ídolos. Nessa altura, nasceu uma criança chamada Abraão, descendente de Noé. O pai dele chamava-se Azar (Ezra), que era carpinteiro, escultor e fabricante de ídolos. Mas o filho não seguiu o caminho do pai, rejeitou adorar os ídolos e astros, porque sabia que tudo isso estava submetido a outro poder Superior, e ídolos não falam, não ouvem e não comem.

Deus quis fazer dele Patriarca da Religião Verdadeira, Religião essa que Deus refere no Alcorão:

“Credo (religião) do vosso pai Abraão”. (Cap. 22,vers.78).

A missão de Mohamad é o continuidade da Doutrina de Abraão, unir os cristãos e judeus debaixo da Bandeira do Islam (submissão voluntária a Deus).

No Alcorão constam estas palavras:

“E eles dizem: Sede judeus ou cristãos e estarei corretamente orientados. Diz-lhes ( ó Mohamad) nós seguimos a doutrina de Abrão, o Monoteísta e ele, não dos idólatras”. (Cap. 2 Vers. 136) “e quem é que rejeitará a doutrina de Abraão, senão quem se tornou ridículo?”. (Cap.2 Vers. 131) “ e recordai quando o Senhor pôs Abraão em prova com as suas ordens e ele as cumpriu, então ELE (Deus) disse: “ Nomear-te-ei chefe de todos os povos”. (Cap.2, Vers. 125).

Foi este, Abraão, que foi obrigado a abandonar a sua terra Natal, assim como relata o Alcorão:
“E menciona no livro, Abraão, pois ele era um justo e um profeta, quando disse a seu pai: - Pai, porque adoras aquilo, que não ouve nem vê e em nada pode beneficiar-te? Ó meu pai ! Na verdade tenho recebido algo da ciência que tu não recebeste. Segue-me pois, que eu te conduzirei pelo caminho reto! Ò meu pai! Não adores o Satã, porque Satã foi rebelde para com o Misericordioso. Ò meu pai receio, receio para ti que o castigo do Misericordioso te atinja e que te tornes num aliado do Satã! Disse o pai: - Rejeitas meus deuses, Ó Abraão? Se não te desistires, apedrejar-te-ei intensamente. Afasta-te de mim . Abraão disse-lhe: - “ Que a paz esteja contigo ! Implorarei perdão para ti a meu Senhor. Ele foi sempre bondoso para comigo, abandonar-vos-ei então, e aos que invocais no lugar de Deus. Só invocarei a meu Senhor, talvez não seja infeliz na invocação que dirijo ao meu senhor.” (Cap. 19 Vers. 41/48)

Quando o Rei soube o caso de Abraão, mandou chamá-lo, assim como relata o Alcorão:

“Não viste que disputou com Abraão sobre o seu Senhor por Deus lhe ter dado o reino. Quando Abraão disse: o meu Senhor é aquele que faz viver e faz morrer,Ele disse:” Eu também faço viver e faço morrer. Abraão disse: Deus faz nascer o sol do Oriente. Portanto, fá-lo tu nascer do Ocidente (se és Deus). Aí, o infiel ficou confundido”. (Cap. 2 Vers. 258)

Um dia, Abraão, na ausência do povo, foi ao Templo e partiu os ídolos todos para provar ao povo, em prática, que os ídolos não têm poder nenhum. O Alcorão relata esta passagem:

“Anteriormente havíamos concedido a Abraão a sua retidão porque o sabíamos digno disso, quando ele disse a seu pai e seu povo: Que são estas estatuas ás quais estais apegados? Responderam: Vimos nossos pais adorá-las. Disse Abraão: Vós e vossos pais estais em erro evidente! Perguntaram: Vieste junto de nós com a verdade ou te divertes conosco? Respondeu: Não, vosso Senhor é o Senhor dos céus e da terra que Ele criou, e eu sou dos que o testemunham. Por Deus que atacarei os vossos ídolos, logo que tiverdes partidos. Reduziu-os a bocados, á exceção do maior persuadido que voltariam a ele reclamar. Quem fez isto com os nossos ídolos? Sem duvidas que foi um dos injustos, Disseram: - Ouvimos um jovem fazer menção deles, chama-se Abraão. Disseram: Tragam-no á presença de todos, talvez haverá testemunhas contra ele. Perguntaram-lhe: Foste tu que fizeste isso com os nossos deuses, ó Abraão? Respondeu-lhes: Não! Foi o chefe deles que fez isto, interrogai-os a ver se eles podem falar. Depois voltaram-se para si mesmos e disseram: Vós sois injustos. Depois entraram em confusão e disseram:Tu bem sabes que eles não falam. Então ele disse: E vós adorais em vez de Deus, quem não vos pode beneficiar nem prejudicar? Fora convosco e com os que adorais em lugar de Deus. Não raciocinais? Disseram: Queimai-o e vinde em socorro dos vossos deuses, se pretendeis fazer alguma coisa”. (Cap. 21 Vers. 51/71).

Quando Abraão viu a oposição por todos os lados, pais e comunidade, decidiu-se retirar para um local onde pudesse adorar tranqüilamente um só Deus.

No mesmo capitulo consta: “E salvamo-lo assim como Lot conduzindo-os a terra que abençoamos para a humanidade, e os designamos “imames” (lideres) que guiariam outros por Nossa ordem, inspiramos-lhes a prática de boas ações, a observância das orações, assim como da esmola, e eles Nos adoraram”. (Vers. 71/72).

Ele saiu e foi até a Palestina radicando-se lá, e depois foi para o Egito acompanhado de sua esposa Sara, e lá foi bem recebido pelo Rei do Egito que depois ofereceu-lhe varias prendas e uma senhora chamada Hagar.

Ele voltou para o Egito, os dias estavam passando. Sara era estéril. Ele não tinha filhos e precisava de alguém para continuar a sua missão de pregar o Monoteísmo.

Orou a Deus para lhe dar um filho justo, assim como diz o Alcorão: “Meu Senhor, agracia-me com um filho chamado Ismail. (Cap. 37 Vers. 104). Assim como diz a Bíblia também:

Ora Sara, mulher de Abraão, não lhe gerava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo o nome era Hagar. (Gênesis 16 Vers. 1)

E na cronologia do livro de Gênesis, Deus fez uma promessa importante a Abraão, antes de ele ter qualquer filho:

Ora o Senhor disse a Abraão:

Sai-te da tua terra e da parentela, e da casa do teu pai, para a terra que eu lhe mostrarei e far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma Benção. E abençoar-te-ei, e engrandecerei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem, e em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gênesis 12 Vers. 1/3)

E no mesmo livro de Gênesis, capítulo 16, diz que Sara deu a Abraão a serva Hagar para ser sua mulher, na esperança de ela gerar filho para Abraão:

E de fato Hagar gerou o primeiro filho de Abraão, cujo nome foi Ismael, que significa “Deus ouve”, nome dado pelos anjos. (Gênesis 16 Vers. 11).

Os catorze anos seguintes Ismael era o único filho de Abraão. Segundo Gênesis, Ismael, assim como toda a casa de Abraão, foi circuncidado ainda antes do nascimento de Isaac. Participou assim na primeira aliança de Deus com um grupo humano restrito, aliança de circuncisão. Várias promessas de Deus dizem-lhe respeito. Depois do nascimento de Isaac, foi repetida a promessa de Deus de abençoar as famílias do mundo através de Abraão.
Quanto a mim eis o meu concerto contigo é, e serás o Pai de uma multidão de Nações. (Gênesis 17 Vers. 4)

E quando Abraão era de cem anos teve uma boa surpresa, a primeira mulher Sara gerou-lhe outro filho, Issac. (Gênesis 21 Vers. 5).

A Bíblia conta-nos que por causa da inveja, Sara pediu a seu marido Abraão, para expulsar Ismael e sua mãe Hagar; então, ele foi pô-los no deserto de “Paran”.

Onde é Paran?

Em geral os geógrafos árabes são unânimes que Paran é nome da montanha de Hijaz.
E o antigo testamento; sobre o local onde Ismael se radicou diz:
“E habitaram desde Havila até Sur, que esta em frente do Egito, indo para Assur”. (Gênesis 25 Vers. 18).

Aqui fala-se da terra que está em frente do Egito e essa só pode ser a Arábia, isto porque no Evangelho e no Antigo Testamento fala-se mais dos filhos de Israel e tentam marginalizar e ignorar os filhos de Ismael. Quase nem falam deles ou então dão referências não muito claras, mas em verdade chegamos a conclusão de que Hagar e seu filho radicaram-se na Arábia. Aí não há duvidas porque nenhum dos Israelitas, incluindo Jesus, tinham a ver alguma coisa com “Paran”.

Mohamad (SAWS) foi o único da descendência de Ismael através de Quedar que se radicou no Deserto de Paran. Mohamad (SAWS) foi o único Profeta através do qual os árabes receberam a revelação na altura em que as trevas tinham coberto o mundo. Através dele Deus resplandeceu Paran, e Macca é o único local onde a casa de Deus é glorificada, cuja alusão encontra-se em Isaías, e foi Mohamad que veio com dez milhares de santos cuja alusão encontra-se no Deuterenômio.

Em toda a história não há outro evento deste tipo exceto quando da conquista de Macca pelo Profeta, quando entrou com dez mil seguidores seus vindos de Madina e reentrou na “Casa da Minha Glória” em Macca resplandecendo-a desde o monte de Paran.

O Novo testamento, cuja origem os cristãos atribuem a Deus, clarifica na Epístola de São Paulo aos Gazatas:

“Porque esta escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre.
23 – Todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era livre, por promessa;

24 – O que se entende por alegoria; porque estão dois concertos; um monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar;

25 – Ora esta Agar é Sinai, monte da Arábia, que corresponde a Jerusalém atual”. (Cap. 4 Vers. 22/25)

Como houve muitas deturpações na Bíblia, não se sabe ao certo qual o texto original, mas o que está claro é que São Paulo chama Agar ao monte Sinai. Se ela não tivesse radicado na Arábia, então não havia razão nenhuma de lhe chamar Sinai da Arábia.

Portanto a promessa que Deus fez abençoar os descendentes de Abraão foi concretizada, através de Issac, segundo filho de Abraão. Dele vieram os Profetas Israelitas, incluindo Jacob, José, Moisés, David, Salomão e Jesus, o ultimo Profeta Israelita. O cumprimento desta promessa através dos Profetas Israelitas é evidente.

Agora, vamos ver se essa promessa foi cumprida através da descendência de Ismael, o 1º filho de Abraão, ou ainda está por ser cumprida?

Primeiro deve ficar bem claro que Deus não contraria a Sua promessa e nem esquece, de acordo com o Alcorão:

“ O meu Senhor não erra, nem esquece”. (Cap. 20 Vers. 52).

Portanto baseando nisso só há duas possibilidades:

1º - Que essa promessa que também inclui os Israelitas já foi cumprida.
2º - Ou então ainda está por ser cumprida.

É bem sabido que dos descendentes de Ismael chegou o ultimo Profeta do Monoteísmo, Profeta Mohamad (SAWS), cujos seguidores constituem quase um quinto da população total do mundo, em todos os países, mesmo nas ilhas mais distantes.

Depois de Deus abençoar os descendentes de Isaac, os israelitas possuíam a liderança espiritual por vários séculos, seguidas de muitas rebeliões e lapsos contra Deus. Foi-lhes dada da parte de Deus uma ultima oportunidade através da missão de Jesus, o ultimo Profeta israelita. Mas, quando Jesus também foi rejeitado, estava já na hora de Deus cumprir a Sua promessa para com a descendência de Ismael, por intermédio da missão do conhecido Profeta Mohamad (SAWS), descendente de Abraão através de Ismael. Esta mudança da Profecia e Liderança espiritual para os filhos de Ismael trouxe a perfeição da promessa que Deus fez a Abraão de abençoar as famílias do mundo através dele, o Patriarca do Monoteísmo.

“E (recordai) quando o Senhor pôs Abraão em prova com as suas ordens e ele as cumpriu. Então Ele (Deus) disse: Eu nomear-te-ei chefe de todos os povos. Abraão disse: E também os meus descendentes? Deus disse: A minha promessa não inclui os injustos. (Cap.2 Vers. 124).
Isso é uma prova suficiente para demonstrar a ligação entre os Grandes Profetas: Abraão, Isaac, Ismael, Moisés, Jesus e Mohamad.

As deturpações e más interpretações da Bíblia são responsáveis desta situação. Muitos teólogos bíblicos para excluírem Ismael desta promessa dizem que ele não era filho legitimo porque nasceu da escrava, mas este argumento não tem base moral lógica nem nos textos das versões bíblicas, porque como já citamos no Gênesis 16 Vers. 3 onde diz que Agar era mulher de Abraão, e, por ser escrava, não a impede de ser mulher legitima. Se eles acham que ela não era verdadeira então pergunta-se que tipo de mulher era?

Portanto se Agar é mulher de Abraão não há questão da legitimidade do filho Ismael. Até porque a própria Bíblia considera-o sempre de Abraão, e filho dele.

“Mas, também, no filho desta serva farei uma Nação, porque é tua semente”. (Gênesis 21 Vers. 13).

“E Agar deu um filho a Abraão, e Abraão chamou o nome do seu filho, que tivera de Agar,Ismael”. (Gênesis 16 Vers. 15/16)

E era Abraão, da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu Ismael a Abraão. (Gênesis 16)

Embora Agar fosse escrava, isso não impedia nem afetava os direitos e privilégios do seu filho Ismael. Essa discriminação é contra a moral humanitária e natureza universal da Revelação acarinhada por qualquer crente, e Deus não vai castigar uma criança inocente porque a sua mãe é escrava. Que tipo de injustiça Divina é essa? Ainda mais quando se diz (na Bíblia) que a Sara invejava-os e disse ao pai para os expulsar, portanto eram caprichos de Sara.

Mesmo a Bíblia na Gen.21-28 diz claramente a respeito de Ismael:

“Ergue-te, levanta o moço e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma grande Nação.”

“E grandeza para Deus, não só em números, mas na fé, crença espiritual e liderança religiosa”.

Quem foi o sacrificado Ismael ou Isaac?

A Bíblia apesar de já estar toda deturpada e alterada de acordo com os caprichos e interesses pessoais, e por isso eles já tiraram todos os versículos que falam sobre Mohamad (SAWS), mesmo assim há realidades que ainda provam a verdade, e apesar de a Bíblia designar, claramente, Isaac como o sacrificado com o fim de puxarem todas as virtudes para o seu lado, mesmo assim temos provas que ele não foi o sacrificado nem podia ser:

1º - Na religião deles conforme a Bíblia, só era sacrificado o primeiro filho ou animal,conforme consta nos números 8-17.

“Porque meu é todo o primogênito entre os filhos de Israel, entre os homens e entre os animais”.

2º - O privilegio e o direito que o primogênito tinha nunca era anulado :

“Quando um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama, e outra a quem aborrece e a amada e a aborrecida lhe derem filhos, e o filho primogênito for da aborrecida.

16 – Será que, no dia que fizer herdar a seus filhos o que tiver, não poderá dar a primogenitura ao filho da amada, adiante do filho da aborrecida que é o primogênito.

17 – Mas ao filho da aborrecida reconhecerá por primogênito, dando–lhe dobrada porção de tudo quanto tiver, porque aquele é o principio da sua força, o direito da primogenitura é seu”. (Deuterenômio 21 Vers. 15/17).

3º - Quando Deus ordenou a Abraão para sacrificar o filho, pôs a condição de sacrificar o filho que fosse único e querido: “E disse: Toma, agora, o teu único filho”. (Gênesis 22 Vers. 2).

Os judeus acrescentaram depois disso “Isaac” mas a realidade desmente isso, porque Isaac nunca foi o único filho . E é conhecido que Isaac nasceu depois de Ismael, assim como diz a Bíblia. Portanto, ele não era o único filho, mas sim Ismael, o primogênito e único filho até aos catorze anos de quando nasceu Isaac, assim como diz a Bíblia:

“Que Abraão era de 86 anos quando nasceu Ismael, e era de cem anos quando nasceu Isaac”. (Gênesis 21 Vers. 5). Os judeus por inveja inseriram o nome de Isaac porque senão a virtude passaria para os árabes que são descendentes de Ismael.

Os judeus foram sempre invejosos com Ismael, porque eles sabiam muito bem que a convenção feita por Deus foi com Ismael e com a sua circuncisão foi concluída e selada essa convenção. Foi por esse rancor que os escribas e doutores da lei judaica corromperam e interpuseram muitas passagens nas suas escrituras sagradas, apagaram o nome de Ismael do segundo, sexto e sétimo versículo do capitulo vigésimo segundo do Gênesis e no seu lugar inseriram o nome de “Isaac” deixando o descrito epíteto “O TEU ÚNICO FILHO GERADO” para negarem a existência de Ismael e para violarem a convenção feita entre Deus e Ismael. Outra prova da Bíblia de que o sacrificado foi Ismael e não Isaac:

“Porque Eu a hei de abençoar e te hei de dar a ti, dela um filho, e a abençoarei, e será mãe das nações”. (Gênesis 17 Vers. 16)

Portanto na boa nova do nascimento de Isaac diz que ele será Mãe das Nações, quer dizer que terá uma descendência grande, como então Deus poderia mandar sacrificar esse filho ainda pequeno que estava destinado a ser Mãe das Nações? Antes de ele ter essa descendência grande? No Alcorão á ordem de Deus, para lhe premiar, Deus anunciou certas coisas, uma delas a boa nova do nascimento de Isaac. Assim como diz o Alcorão:
“E demos-lhe a boa nova de Isaac, o qual seria um Profeta entre os justos, e o abençoamos, a ele e a Isaac”.(Cap.37 Vers. 112/113).

Isso quer dizer que Isaac ainda não tinha nascido e o sacrificado é outro e não ele, e esse só pode ser o Ismael.

Tudo quer dizer claramente que Isaac viverá e terá uma longa vida até ter filhos, portanto como poderia Deus contrariar as suas próprias palavras e antes disso mandar sacrificar Isaac, afinal de contas ele já sabia que não ia morrer porque ainda havia uma grande geração que estava para nascer dele, portanto neste caso a ordem de sacrifício nem é teste puro e o que Abraão fez não foi virtude nenhuma.

Teste só foi quando Abraão ao sacrificar teve a certeza de que o seu filho ficaria sem vida mas mesmo assim ele cumpriu essa ordem, e este tipo de versículos estão na Bíblia, como por exemplo:

“E disse Abraão a Deus: Oxalá que viva Ismael diante do teu rosto”.

19 – E disse Deus: Na verdade, Sara, tua mulher te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaac, e com ele estabelecerei o Meu Concerto, por Concerto perpétuo para a sua semente depois dele”. (Gênesis 17 Vers. 18/19).

Porque está na Bíblia que quando Abraão quis sacrificar o seu filho, o Anjo bradou do céu:
“15 – Então o Anjo do Senhor bradou a Abraão, pela segunda vez, desde os Céus.
16 – E disse; Por mim mesmo, jurei diz o Senhor; porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único.

17 – Que deveras te abençoarei, e grandíssimamente multiplicarei a tua semente como estrela do Céu, e como a areia que está na praia do mar”. (Gênesis 22 Vers. 15/17).

Portanto vejam, quando se deu a Boa Nova do nascimento do Isaac, Deus disse logo que a descendência dele seria muito grande. Como poderia Deus dar ordem de sacrificá-lo antes de ele ter essa prometida descendência porque esta promessa de multiplicação da sua descendência foi como premio do sacrifício que Abraão fez a Ismail.

E depois, se o sacrificado fosse Isaac, uma vez que os judeus são descendentes dele, teriam mantido qualquer recordação em memória disso, mas pelo contrário não tem nada. Os descendentes de Ismail e todos os muçulmanos que são descendentes espirituais dele até hoje ainda comemoram este sacrifício, durante a Peregrinação. Conforme as tradições islâmicas, até os chifres da ovelha, que depois foi sacrificada no lugar de Ismail, os árabes tinham conservado, até ao tempo de Hajjaj Bin Yussuf, na Kaaba. Só quando houve um incêndio de grandes proporções é que os chifres também se queimaram, ficando destruídos, e sabe-se que Isaac nunca esteve na Arábia, quem esteve foi Ismail, portanto o sacrificado foi Ismail. Além destas, temos várias provas claras no Alcorão e Hadis que indicam que o sacrificado foi Ismail.

E agora, a versão do Alcorão, em relação à chegada de Abraão e Ismail a Arábia. No Alcorão consta o seguinte:

“Ó Senhor Nosso! Estabeleci parte da minha descendência num vale inculto (que não se pode cultivar) perto da Tua casa sagrada, para que, Ó Senhor Nosso! Observem a oração; faz com que os corações de algumas pessoas inclinem para eles, e agracia-os com os frutos a fim de que te agradeçam”. (Cap. 14 Vers. 37).

Quando Abraão estava a deixá-los sozinhos no deserto, Agar gritou para ele dizendo: onde estás a deixar-nos? A pergunta foi repetida três vezes, mas Abraão não respondeu. Então, Agar perguntou: Foi Deus que te ordenou para que fizesses isto? Abraão respondeu com um sim. Agar com muita fé e submissão disse: Então Ele não nos abandonará. Foi nesta altura que depois de já estar longe e fora do alcance da visão deles que ele fez este duá (Oração) acabado de mencionar.

E aqui no versículo diz-se:

“PERTO DA TUA CASA SAGRADA”

Isto indica que nessa altura já existia a Kaaba, construída por Adão, pela ordem de Deus, mas depois do dilúvio na época de Noé, só restou o sinal e a fundação. Foi por cima disso que Deus mandou a Abraão construir de novo a Kaaba, cuja passagem encontra-se no Alcorão.
Depois de os deixar lá, quando lhes começou faltar água, Agar começou a correr entre SAFA e MARWA, duas rochas, à procura de água ou então para ver se havia algum viajante a passar por perto. Depois de correr sete vezes sem êxito voltou para ir ver o filho que estava a chorar e a chutar a terra com seus calcanhares como é hábito nos bebês quando são deixados de costas. Nesse momento de desespero e morte certa, milagrosamente uma fonte apareceu debaixo dos pés de Ismail, e esse poço, foi e é conhecido por ZAMZAM. Até hoje existe esse poço e milhões de pessoas bebem dele e nunca se acaba. Muitos muçulmanos que tiveram a sorte de ir a Macca em Peregrinação ou em visita tiveram a oportunidade de ver o poço. Esse lugar foi gradualmente crescendo até que se tornou na mais importante cidade da Arábia, Macca.

Muitos séculos depois dos descendentes desse bebê chamado Ismail, filho de Abraão, veio o último Profeta de Deus, Mohammad (SAWS) que nasceu em Macca, uns cinco séculos depois da missão de Jesus o último Profeta Israelita.

É interessante notar que as rochas de Safa e Marwa ainda existem, e os peregrinos correm entre as duas como sendo parte dos rituais da peregrinação, isto é, cumprindo parcialmente em recordação da procura de água pela Agar. Este acontecimento é do tempo de Ismail, muito antes do nascimento de Mohammad (SAWS).

Breve relato da Batalha de Badr