É Possível Contatar o Espírito dos Mortos?

 

É possível contatar o espírito dos mortos?

Data da Fatwa 6/ Janeiro/ 2003

 

Questão da Fatwa: Caros estudiosos, As-Salamu `alaykum. Pelos últimos 17 anos do meu casamento uma questão permaneceu sem resposta para mim. Eu espero conseguir uma resposta com vocês. Minha questão é: um dos tios paternos de minha esposa declara que consegue contatar a alma liberta de um shahid (mártir) que foi morto a centenas de anos atrás e fazer tal alma executar qualquer trabalho para ele. Ele também declara que tudo é feito Segundo o  Qur’an e a Sunnah. Os senhores podem comentar sobre o assunto?

 

Nome do Mufti: Sheikh Ahmad Kutty

Resposta: Wa `alaykum As-Salamu wa Rahmatullahi wa Barakatuh.

Em Nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso.

Toda gratidão e louvor são para Allah, e que a paz e as bênçãos estejam sobre o Profeta e seus familiares.

Caro irmão no Islã, muito obrigado pela sua questão, que reflete sua preocupação em ter uma fé forte e esclarecida. Allah ordena aos Muçulmanos que busquem junto às pessoas com conhecimento os ensinamentos do Islã sobre todos os aspectos da vida.

Primeiro, é um ato de shirk (associar outros a  Allah) e um pecado maior chamar o que quer que seja do Mundo Invisível — uma pessoa morta, um anjo, um demônio ou um jinn — para buscar ajuda ou intercessão.

Respondendo à sua pergunta, Sheikh Ahmad Kutty, conferencista, professor e estudioso islâmico do Islamic Institute de Toronto, Ontário, Canada, coloca:

“Não há absolutamente nenhuma base no Islã para quem quer que declare que pode entrar em contato com as almas ou espíritos dos mortos, sejam mártires, santos ou mesmo Mensageiros elevados, incluindo o Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos estejam com ele), e conseguir coisas através deles. Tal pretensão é totalmente irracional, absurda e precisa ser totalmente evitada.

Um dos ensinamentos explícitos do Islã, muito enfatizado no Qur’an e na Sunnah, é que os assuntos do mundo invisível (como é o caso do que acontece após a morte ou no futuro) pertencem exclusivamente ao reino de Allah, e que nenhum ser humano tem acesso a eles, a não ser na medida em que Allah o permite. Também nos é ensinado que ninguém pode nos beneficiar ou prejudicar sem a permissão de Allah e, conseqüentemente, devemos buscar ajuda apenas em Allah – de nada valendo o “status” da pessoa a quem pedimos intercessão.

E mais, o Qur’an denuncia categoricamente aqueles que se envolvem em especulações sobre assuntos do mundo invisível; tal é considerado uma ofensa hedionda.

Assim, não é uma surpresa que não se encontre uma única ocasião nas histórias de qualquer um dos Profetas e Mensageiros de Allah em que eles demonstrem ter a habilidade de contatar as almas dos mortos.

Conquanto não aja uma só passagem que os Profetas e Mensageiros de Allah tenham contato os “espíritos” dos mortos, nós encontramos, no entanto, em certo número de casos nos quais eles participaram do milagre de reviver os mortos. Um exemplo óbvio é o caso narrado na Surata al-Baqarah que envolve um assassinato. Como a identidade do assassino era desconhecida, Allah ordenou, através do Profeta Musa, que o povo de Israel sacrificasse uma vaca e tocasse o cadáver com um osso do animal. Com isso, a pessoa reviveu, disse o nome do assassino, fechou os olhos e voltou à morte. Milagres como esse, voltamos a afirmar, não tem nada a ver com contatar o espírito dos mortos.

Se, apenas como argumento, admitir-se a possibilidade de contatar a alma dos mortos e conseguir que façam coisas para nós, então as questões seguintes pedem uma resposta:

1) SE fosse possível que os seres humanos contatassem as almas dos mortos, então porque os primeiros muçulmanos, como os Companheiros do Profeta e seus sucessores não contataram a alma do Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos estejam com ele) e pediram intercessão?

2) Porque Abu Bakr, `Umar, `Uthman e `Ali não contataram o Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos estejam com ele) e pediram seu conselho em muitas das tribulações e desafios que a Ummah enfrentou após sua morte? Muito do sangue derramado a seguir teria sido evitado!

3) SE contatar as almas dos mortos e pedir sua ajuda fosse parte da crença islâmica, porque ninguém das primeiras gerações o praticou? Porque não encontramos nenhuma confirmação de tais práticas nas fontes autênticas do Islam?

4) Se alguém honestamente acredita que pode conseguir as coisas através do contato com os mortos, então porque suas necessidades comuns não podem ser satisfeitas desse modo? Porque não testá-lo: prive-o de todos os serviços comuns e desafie-o a conseguir tais coisas através da alma de um shahid (mártir); se ele ficar doente e lhe for recusado qualquer tratamento, ele conseguirá se curar através desses meios misteriosos?

Após ter dito que tal idéia é absurda e contradiz os ensinamentos do Islã, devemos explicar a verdadeira natureza de tais presunções. Para explicá-las precisamos nos referir ao fato de que, Segundo o Islã, existem mundos “externos” que estão ocultos para nós e que pertencem aos demônios e jinns [N.do T.1]. Tais criaturas possuem alguns poderes limitados, mas os assuntos de ghaib (assuntos além da percepção, ou seja, o Invisível) estão certamente fora dos seus limites. Aqueles que servem ou se aproximam de tais espíritos às vezes conseguem uma ou outra coisa, mas nada muito importante, e certamente nada que envolva a revelação de mistérios ocultos. Outro importante fato a se considerar: tais seres personificam e fingem ser as almas doas dos mortos para enganar seus seguidores.

O que foi afirmado acima é confirmado por um dos ex-chefes do autodenominado Movimento Espírita no Egito, que durante décadas seguiu tal desvio. Após ter se arrependido e renovado sua shahadah (testemunho de fé), ele divulgou segredos do culto. Em suas declarações à imprensa ele denunciou aqueles que clamam estar em contato com os mortos. Disse que eles estavam, na verdade, apenas contatando demônios e jinns.

Esse ex-chefe do Movimento Espírita mais tarde acabou por destruir o mito de que se podia ser curado através de tais canais. Ele admitiu – apesar de no passado ter feito tais declarações – não haver nenhuma verdade nisso. Ele mesmo vinha sofrendo de uma série de moléstias, e se fosse possível realmente curar-se desse modo, ele já teria sido curado.”

Tirado, com pequenas alterações, de:
www.islam.ca

Mantenhas-se em contato. Se você tiver outras dúvidas não hesite em nos contatar..

E Allah, o Todo-Poderoso, sabe mais.

http://www.islamonline.org/fatwa/english/FatwaDisplay.asp?hFatwaID=89969 

* N. do T. 1: É comum a referência em separado de demônios (shaytanni) e jinns (também escrito como “djins”), mas devemos lembrar que os demônios são jinns rebeldes, maléficos.

 

Tradução: Irmã Mariam Polga