Seguindo os passos do bem-amado Muhammad

 

Episódio 5: O Início da Revelação

Em nome de Allah, O Clemente, O Misericordioso. Que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre Seu Profeta Muhammad.

O episódio de hoje consiste em uma única parte: O inicio da revelação.

Precisaram-se quarenta anos de preparação para vinte e três anos de revelação, já que se tratava da última mensagem divina, a mensagem que prevaleceria até o final dos tempos. Isso nos demonstra que os grandes aspectos precisam de preparo, soluções graduadas e minuciosas. Depois de toda essa preparação, o Profeta havia adquirido experiência em todos os campos: social, financeiro, político, conjugal, etc. O Mundo, a Península Arábica e Makkah estavam preparados também.

O Profeta tinha 38 anos nessa época. Faltavam dois anos para a revelação, mas esses dois anos seriam uma introdução  (Não uma preparação) do encontro com o Anjo Gabriel (que a paz esteja com ele). O Profeta começou a sentir que algo de extraordinário iria ocorrer. Era um dom de Allah. No Alcorão diz:

“Se tivéssemos feito descer este Alcorão sobre uma montanha, tê-las-ias visto humilhar-se e fender-se, por temor a Deus, Tais exemplos propomos aos humanos, para que raciocinem.” (59:21)

A introdução foi paulatina, ao longo de dois anos ou mais e se intensificou nos últimos 6 meses. O Profeta ouvia as árvores lhe falarem, quando ele passava : “Que a paz esteja contigo Oh Mensageiro de Allah”, então ele se virava para ver quem era e não encontrava ninguém.

O Profeta disse: “Conheço uma pedra em Makkah que me cumprimentava antes de eu ter recebido a revelação, e ainda a reconheço.” (Sahih Muslim- Narrado por Jaber Ibn Samra).

O Profeta começou a ter sonhos certos, que explicava à sua mulher e às suas 4 filhas e que via se tornarem realidade no dia seguinte. Aisha (a mãe dos crentes) nos conta: “O começo da Inspiração Divina de Allah a seu Profeta veio em forma de sonhos certos que se realizavam no dia seguinte.” (Sahih Bukhari, primeira parte, revelação)

Não sonhava com acontecimentos extraordinários e sim com acontecimentos simples, como por exemplo, esperar a visita do tio de Khadija e saber dos detalhes que iria acontecer quando viesse. O Mensageiro de Allah disse: “O sonho certo de um crente é uma parte de 46 que tem a profecia.” (Sahih Bukhari, Parte 9, livro 87, interpretação dos sonhos). Qualquer pessoa que tenha um sonho correto que depois se cumpra tem uma parte de 46 que tem a profecia. A predicação do Profeta Muhamad durou 23 anos (que equivalem a 276 meses) e a duração desses sonhos certos foi de 6 meses. Se dividirmos 276 por 6 ...o resultado é 46!

O mais relevante é que no último período antes da revelação, o Profeta começou a precisar se reservar. Depois de muitos anos de trabalho e esforço, Allah queria que ele preparasse sua crença espiritual e deste modo encontrar um equilíbrio entre o mundo material e o espiritual. O Profeta refletiu sobre a vida, a criação e os profundos significados da existência. Nenhuma pessoa, homem ou mulher, encontrou a guia até que passassem pelo sentimento de querer estar mais perto de Allah. Escute o versículo em que Allah, Louvado seja, diz:

“Porém, Deus vos inspirou o amor pela fé e adornou com ela vossos corações e vos fez repudiar a incredulidade, a impiedade e a rebeldia. Tais são os sensatos.

Isso, pela graça e favor de Deus; e Deus é Prudente, Sapientíssimo.”(Al Quran 49:7)

Podemos sentir o significado de “e adornou com ela vossos corações” no Ramadan.  As noites de Ramadan começam e todos nós as celebramos e temos muita vontade de adorar a Allah. O hadith (dito do Profeta (SAAS)) diz: “Abdullah ibn Amr ibn Al A’as disse que ouviu o Profeta Muhammad dizendo: ‘Os corações de todos os filhos de Adão estão entre dois dedos do Rahman (Clemente). Ele os dirige para a direção que Ele quiser.’” Logo o Profeta de Allah (SAAS) disse: “Oh Allah, que dirige os corações, fixa nossos corações na tua obediência.” (Sahih Muslim, livro 33, Destino).

Constantemente, Allah “adornou com ela vossos corações” quando você gosta de rezar 2 rakaas (genuflexões) ou quando você se propõe a fazer a Umrah ...e a vida lhe absorve e lhe distrai...nesse caso Allah lhe enviou a mensagem mas você escolheu não escutá-la.

Conheço a história de um jovem cuja mãe era diabética. Um amigo meu, que era médico, ia sempre ao seu domicílio para controlar regularmente o estado de saúde de sua mãe. Uma vez a mulher lhe disse que era muito tarde, por isso seu filho o levaria para casa. Pelo caminho o jovem conversou com ele falando de uma forma muito cínica sobre a religião (coisa que não é nada comum em nossos países). Disse-lhe debochando: “Eu gostaria de ir para o inferno para estar com as pessoas divertidas”. Meu amigo ficou perplexo e lhe pediu educadamente que lhe deixasse ali mesmo. Passou muito tempo e meu amigo foi à Arábia Saudita e voltou. Passado dois anos, recebeu uma chamada da mãe do jovem pedindo-lhe que viesse ver seu estado de saúde. Quando terminou de examiná-la, ela lhe disse que seu filho o levaria para casa, mas meu amigo recusou imediatamente. A mulher insistiu dizendo que quando o jovem voltasse da Mesquita da oração da noite ele iria levá-lo. Ao ouvir isso se surpreendeu muito e aceitou.

No caminho meu amigo perguntou ao jovem sobre a sua mudança. O jovem respondeu: “Comecei a trabalhar em uma agência de viagens. No inicio as viagens eram com destino à Europa principalmente. Logo a Umrah (Peregrinação menor) começou a aumentar e então comecei a ir a Makkah. Eu costumava debochar das pessoas que vestiam a vestimenta da peregrinação e nem havia se passado em minha cabeça um dia fazê-la. Um dia, o dia primeiro de Sha’ban, estavam lavando a Kaaba.  Pensei que deveria ir vê-la com meus próprios olhos, pois não era lógico que eu viajasse tão constantemente a Makkah e nunca tivesse visto a Kaaba. Eu estava ali de pé olhando quando um sheikh me pegou pela mão e disse:” Vem que te deixarei entrar comigo “. De repente me vi dentro da Kaaba, chorando. A partir desse momento me converti em outra pessoa.”

Viram como Allah orienta as pessoas sem estas se darem conta? Allah colocou o amor pelo Ramadan em nossos corações, por isso não podemos perder a oportunidade. Lembram do nosso lema: “Vou adorar a Allah como nunca havia adorado anteriormente.”

Allah, Louvado seja, fez o Profeta Muhammad amar o retiro, por isso começou a procurar um lugar onde pudesse refletir tranqüilamente. Precisava de um lugar que lhe fizesse sentir protegido e de onde pudesse ver a Kaaba. Realmente ao entrar na caverna de Hirá  lhe dá a sensação de estar sendo abraçado.

Buscou nas montanhas. Buscou muito até encontrar a caverna de Hirá que se encontrava a 3 milhas da Kaaba. Realizou esse grande esforço porque Allah colocou em seu coração o amor pela fé. Para subir na montanha precisamos de 1 hora e meia. Ao chegar no topo estarás suado e cansado. O lugar é desértico. Imagine estar numa montanha dentro de uma caverna, às duas da madrugada, em uma noite escura . Foi nesse momento que recebeu a visita do anjo Gabriel (AS). O Profeta (SAAS) costumava passar muitas noites lá, dizem que 10 dias, fazendo apenas uma coisa: Refletir.

Aisha (Que Allah esteja comprazido com ela) disse: “Costumava-se retirar à caverna de Hirá, onde adorava a Allah, sozinho” Sahih Bukhari Vol.1, Livro

1,  Revelação. Não devemos esquecer que nesta época não havia orações, uma vez que ainda não era Profeta, então o que fazia era refletir da maneira do Profeta Ibrahim (Abraão- AS). Allah, Louvado seja, diz no Quran:

“E foi como mostramos a Abraão o reino dos céus e da terra, para que se contasse entre os persuadidos.” (6:75)

A meditação conduz à retidão. Refletia sobre o dia e a noite, sobre o céu e a terra, sobre as estrelas, sobre o poder de Allah e Sua soberania sobre o universo.

Amr Ibn Abd Kays, um dos discípulos dos companheiros do Profeta, disse que havia escutado dez dos companheiros do Profeta dizendo que a luz do Islam é a meditação. Perguntaram a Um ad-Dardá que tipo de adoração mais praticava Abu Ad-Dardá, que era um dos grandes companheiros do Profeta. Respondeu: “A meditação”. Al Hassan al Basry dizia: “uma hora de meditação é melhor que um ano de Qiyam (oração voluntária noturna)”

As grandes companhias hoje em dia, organizam um dia livre para levar aos seus empregados a um hotel para refletirem sobre um novo mundo, sua motivação é ganhar mais dinheiro. Agora, pergunte a você mesmo: Quando foi a última vez que você refletiu sobre a Magnificência de Allah, sobre seu futuro, sobre os objetivos de sua vida?

Imagine o Profeta na caverna de Hirá, imagine o que ele fazia naquele lugar. Algumas vezes olhava para o céu e refletia sobre o universo. Outras vezes, olhava para a Kaaba e as 300 estátuas situadas ao seu redor, certo de que aquilo não era correto. É certo que também refletia sobre a sua situação pessoal, como perdeu seus pais sendo pequeno, que razão haveria por trás desses acontecimentos? Refletia sobre os problemas da vida e da morte, sobre os 38 anos de sua vida, sobre seu objetivo na vida...esta foi a introdução final da revelação na caverna de Hirá.

Se pudéssemos nos comprometer em dedicar uma hora no dia, ou mesmo na semana para refletir. Tente praticá-la enquanto caminha e verá a diferença . Tente escrevê-la. Pergunte a você mesmo: Porque estou aqui?  Essa pergunta oprimiu o Profeta por 3 anos. Insista perguntando a você mesmo e Allah lhe ajudará. O mais importante é que você insista. Não se renda na primeira tentativa e encontrará o seu objetivo na vida.

Nossas vidas são como uma única flecha, que estamos obrigados a disparar, por isso tenha cuidado e não brinque com a única tentativa que você tem.

Khadija ia visitar o Profeta e passava dois ou três dias com ele na caverna . Ela aprovou o que o seu marido estava fazendo e além disso lhe apoiava e, o mais importante, e esse é o conselho que eu dou a todas as mulheres: nunca fique em um mundo totalmente diferente do seu marido. Se você fizer isso, se criará uma fissura entre vocês que irá aumentando e perceberão um dia que estarão falando idiomas distintos, o que poderá levá-los finalmente ao divórcio.

Khadija (Que Allah esteja comprazido com ela) era uma esposa maravilhosa. Era uma mulher inteligente e ativa e que não aceitava deixar seu marido só todo esse período. Por outro lado não lhe pressionou ficando com ele todos os dias. Demonstrou-lhe que apoiou sua escolha, demonstrou-lhe sua atenção através das visitas, e sua confiança nele ao mesmo tempo em que não lhe pressionava.

Ali  (Que Allah esteja comprazido com ele) contou que o Profeta disse: “A melhor mulher do mundo em sua época foi Maria e a melhor mulher do mundo em sua época foi Khadija” Sahih Bukhari, vol.5. livro 58.

A mulher deveria estar com seu marido, e o marido deveria permitir sua mulher de participar em sua vida, e desse modo não se separariam no futuro.

Mas, não pense que isto significa que você pode ir e se isolar numa caverna! Nenhum companheiro fez isso. Na realidade o Profeta disse, segundo a narração de Abdullah ibn Omar : “O crente que vive em contato com a sociedade e suporta seus prejuízos, será mais generosamente recompensado que o crente que se afasta das pessoas e evita seus prejuízos."

E depois do Islam, nem o Profeta nem os companheiros se isolaram. Inclusive o I’ticaf (um ato de adoração na qual o muçulmano deixa sua casa e se entrega completamente à adoração de Allah na mesquita, especialmente durante os últimos 10 dias do mês de Ramadan) deve-se fazer na mesquita entre as pessoas. Nossa religião é a religião da coexistência e harmonia com os demais.

Certamente, Khadija para realizar tais visitas deveria fazer um grande esforço. Quando se casou com o Profeta tinha 40 anos .  Haviam-se transcorrido 15 anos e já havia cumprido 55 anos. É de se espantar que uma mulher de 55 anos conseguisse subir uma montanha para acompanhar seu marido na caverna, simplesmente para sentarem e refletirem juntos. Era uma mulher maravilhosa e uma das maiores bênçãos que Allah concedeu ao Profeta. A ele foi dito: “Dê a Khadija as boas-novas de que terá um palácio de qasab (pérolas) no paraíso, onde não haverá nem ruído nem fadiga.” Sahih Bukhari, volume 3, livro 27

Na língua árabe “qasab” se utiliza para designar um tipo de pérolas escavadas que lembram uma caverna. Assim, pois, a recompensa é da mesma natureza que a obra.

O Profeta estava em uma etapa de sua vida em que, depois de ter refletido por 3 anos, sentia a necessidade de contribuir na sociedade. Nesse momento teve lugar um ponto de giro. Vamos ver agora a gravação que fizemos sobre a caverna e vamos imaginar o abraço que houve entre o Profeta e o anjo Gabriel (AS).

Neste lugar começou o islam. Estou espantado, não sei como o Profeta pode chegar a este lugar. Rodeiam-me 3 grandes rochas que parecem como um abraço que me contém dentro de si.

Aqui descendeu a primeira revelação. Allah, Louvado seja, disse:

“Sabei que o revelamos (o Alcorão), na Noite do Decreto.E o que te fará entender o que é a Noite do Decreto? A Noite do Decreto é melhor do que mil meses.” (97:1-3)

Deixe-me fazer uma pergunta: Onde você preferiria que tivesse iniciado a revelação? Em um luxuoso palácio ou neste simples lugar? É outra lição que Allah, Louvado Seja, nos ensina.  O islam não foi fundado com o luxo e sim com a força da idéia e com a missão, puramente. Além disso não importa a simplicidade do lugar e sim o que conta aqui é a sinceridade.

Este lugar foi testemunha da primeira comunicação entre os céus e a terra, uma comunicação que manteria ao longo de 23 anos. Neste lugar, os céus abraçaram a terra, a luz dos céus se encontrou com a luz da terra. Não importa o quão difícil foi chegar neste lugar, o que importa é que Allah, Louvado Seja, escolheu esse simples lugar para o começo do Islam.

Deveríamos perceber a magnificência que é o fato da comunicação dos céus e da terra. Anas, que Allah esteja satisfeito com dele, informou que depois da morte do Mensageiro de Allah Abu Bakr disse a Omar: “Vamos visitar a Umm Ayman como costumava a fazer o Mensageiro de Allah”. Quando chegamos, ela começou a chorar. Abu Bakr e Omar lhe perguntaram: “Porque choras? O que Allah preparou para Seu Mensageiro (na outra vida) é melhor do que toda esta vida mundana.” Ela disse: “Não choro por ignorar que o que Allah tem guardado (na outra vida) para Seu Mensageiro é melhor do que toda essa vida mundana, mas choro porque a revelação que estava vindo dos céus terminou.” Essas palavras lhes fizeram chorar também.

Umm Ayman, esta mulher simples, era consciente da benção que Allah nos conferia fazendo descer a revelação para a terra.

Aisha narrou : “O anjo lhe veio e disse: ‘Lê’. O profeta disse: ‘Não sei ler’. O Profeta continuou dizendo: ‘O anjo me abraçou fortemente e me apertou vigorosamente até que não podia suportar mais, logo me soltou e disse novamente para que eu lesse’.Eu lhe respondi: ‘Não sei ler’. Outra vez me abraçou e me apertou até que não podia suportar mais. Logo me soltou e disse para eu ler. Eu disse: ‘O que leio?’ Então me abraçou pela terceira vez e me apertou e logo me soltou e disse”:

“Lê, em nome do teu Senhor Que criou; Criou o homem de algo que se agarra. Lê, que o teu Senhor é Generosíssimo, Que ensinou através do cálamo, Ensinou ao homem o que este não sabia.” (96: 1-5)Então o Mensageiro de Allah repetiu o que lhe havia sido revelado enquanto que seu coração batia fortemente.”. Hadith Sahih em Sahih Bukhari, vol.1, livro 1, número 3.

Reflitamos a respeito deste abraço. Primeiro: é um símbolo de misericórdia, amor e paz. E esta é exatamente a missão do Islam, que renega toda a violência, opressão e injustiça. Segundo: queria deixar claro para o Profeta que ele estava acordado e não dormindo. Lembre-se que o Profeta estava tendo sonhos enquanto dormia que eram tão claros como a luz do dia e logo se tornavam realidade. Terceiro: O inicio da Revelação deveria ser forte para indicar a seriedade da missão do Islam.

Chegando a este ponto, deixe-me dizer que estamos em uma situação grave: nossos países estão se desmoronando e temos que reavivá-los outra vez. A Revelação começou no Ramadan, assim aproveite essa oportunidade e faça com que este Ramadan seja seu começo.

Outro detalhe que nos faz refletir é o seu próprio começo: “Lê” Porque começou a missão do Islam desta maneira tendo em conta que o Profeta Muhamad era iletrado? Isso indica que a época dos milagres havia acabado, e outra nova época de conhecimento, ciência e planejamento havia começado com Muhamad. Não obstante, atualmente 60% da nação árabe é analfabeta. As pessoas ainda esperam que um milagre melhore suas vidas, não percebem que tais milagres nunca ocorrerão até que nos convertamos em verdadeiros muçulmanos.

O começo “lê”, não deixa nenhuma dúvida acerca da realidade do Islam. O Islam é aplicável a todas as épocas, e esta é a época do conhecimento. Allah, Louvado Seja, disse:

“Lê em nome do Teu Senhor que criou, Criou o homem de algo que se agarra (coágulo). Lê que teu Senhor é o mais Generoso, Que ensinou através da pena, Ensinou ao homem o que este não sabia.” (96: 1-5)

Allah mencionou o conhecimento e suas ferramentas seis vezes em cinco versículos. Os milagres haviam acabado. Se tomarmos essa missão com seriedade, então nós mesmos faremos realizar o milagre.

Há pessoas que se sentem envergonhadas pelo Profeta Muhamad ser iletrado. Pelo contrário, deve saber que isto em si é um milagre. Um homem iletrado que educou toda a humanidade, deixando uma herança enorme de conhecimento que ainda até hoje segue sendo objeto de estudo.

Depois de seu encontro com o Anjo Gabriel (AS) se sentiu muito assustado. E isso indica que não estava perseguindo a profecia. Foi outro homem, chamado Abu Amer que soube através das Escrituras Divinas anteriores ao Islam de que se aproximava a chegada do Último Profeta. E como ele queria sê-lo, começou a preparar a si mesmo. E por isso logo as pessoas o chamariam de “O Clérigo”. Quando soube que a revelação havia descido ao Profeta, mostrou uma inimizade enorme com relação a ele. Foi ele quem cavou um buraco fazendo uma armadilha, na Batalha de Uhud , para que o Profeta Muhamad caísse.

E este é um ponto essencial que devemos aprender e compreender . Nunca devemos nos preocupar de embelezar somente a aparência externa e deixar de lado o que está no nosso interior. E só então, Allah, Louvado Seja, nos ajudará e guiará.

 

Professor Amro khaled,

Tradução irmã Zohra!