Seguindo os passos do bem-amado Muhammad

 

Episódio 2: O Nascimento do Profeta

Que a Paz e as bênçãos de Allah estejam sobre o nosso Profeta Muhammad.

Esse é o segundo dia do Ramadan. Como está seu ânimo? Segue entusiasmado?

Tenha sempre presente em sua mente os seis méritos do Ramadan, para que quando você sentir que seu ânimo tem diminuído isso sirva para elevar seu espírito moral:

1-   Perdão dos pecados

2-   Salvação do fogo do inferno

3-   Um tesouro de boas ações (cada boa ação equivale a 70)

4-   A súplica do jejuador na hora de quebrar o jejum é correspondida.

5-   A Noite do Decreto que é melhor que 1000 meses, e temos que nos preparar para ela desde hoje.

6-   A complacência de Allah com seus servos que estão jejuando.

No episódio de ontem combinamos em adotar o lema:

Adorarei a Allah como nunca adorei anteriormente”

Também estabelecemos uma tabela de atividades que consiste em seis pontos que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) costumava seguir no Ramadan e também dissemos que as mulheres são as responsáveis de prepará-la e entregá-la aos  seus maridos.

Esses pontos são:

1-   Realizar as 5 orações obrigatórias em congregação (jama’a)

2-   Manter os vínculos familiares ou fazer o bem para os pais.

3-   Fazer caridade diariamente

4-   Fazer Du’a suplicando a Allah que nos salve do inferno e faça com que haja o ressurgimento da nossa Ummah (Nação) com a nossa ajuda.

5-   Ler todo o Alcorão

6-   Fazer uma boa ação diariamente (guiar alguém ao caminho correto ou fazer algo em benefício da sociedade

O episódio de hoje consiste em três partes:

Primeira: Versará em poucos minutos sobre a grandeza do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), para aumentar nosso amor em relação a ele.

Segunda: Versará sobre o estado do mundo antes de seu nascimento, em outras palavras: Como estava o mundo antes do nascimento do Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) ?

Terceira: Falaremos do seu nascimento.

Começaremos dando alguns relances acerca da grandeza do Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Há um versículo que gosto muito e que é muito comovedor especialmente porque estamos aqui a apenas algumas centenas de metros de sua casa. Allah disse no Qur’an e traduzimos por: “E sabei que o Mensageiro de Deus está entre vós” (Sura 49:7)

Está o Mensageiro de Deus entre nós? O Mensageiro de Deus está morto e aqui está a sua tumba. Esse versículo não foi somente dirigida aos Companheiros do Profeta Muhamad  (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), uma vez que o Quran é válido para todos os tempos. Então, o que significa esse versículo? Quer dizer que ele está entre nós com a sua Sunnah (tradição), com suas virtudes morais, com o que ele deixou em você, com a grande herança que lhe transmitiu e que ficará viva até o Dia do Juízo Final. “ E sabei que o Mensageiro de Deus está entre vós” (Sura 49:7)

O versículo não se limita a um grupo pequeno de pessoas em um tempo específico da história. É um versículo perdurável ao longo das eras, já que ele deixou uma herança muito rica para toda a humanidade.

Deixe-me dar-lhes um exemplo sobre a grandeza do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele).

Normalmente se aconselha aos famosos, em qualquer campo da vida, a não mostrar muito das suas características próprias. Por que ?  Porque quanto mais as pessoas sabem dos seus aspectos próprios , mais aparecerão os seus defeitos e se extinguirá a sua imagem luminosa, já que não são mais que seres humanos.Isso se aplica a todos, exceto uma pessoa que é o Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Ele convidava as pessoas para virem até ele, a encontrar-se com ele, e a tratar com ele o quanto mais possível. O único em toda a terra que fez isso foi o Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), porque nós somos humanos, e ele também é humano, mas ele está mais perto da perfeição. Quanto mais você sabe sobre ele, mais admira as suas virtudes morais, o respeita e ama.

Permitia que os pobres vivessem a passos de sua casa e não longe dele, assim passaram a conhecê-lo ao longo de 10 anos e o seu amor e veneração com relação ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) só aumentou. O exército que saiu com ele para conquistar Makkah com 10.000 homens, viveu com ele por um mês completo e isso aumentou seu amor com relação a ele, porque esses homens não encontraram nele nenhum defeito.  O exército que saiu de Tabook com 30.000 homens, tiveram contato direto com o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) e não cessaram de amá-lo, respeitá-lo e reverenciá-lo ainda mais.  Cem mil muçulmanos o conheceram no “Hajjat al Wadaa” (Peregrinação da Despedida), ele subiu em sua camela com o fim de que todos pudessem vê-lo e disse: (segundo a narração de Abdullah Ibn Omar)

Divulguem o que aprenderam por mim (ou seja, sobre minha mensagem) nem que seja um versículo” Hadith autêntico, Sahih Bukhari , Volume 4 , Livro 56, número 667.

Também disse: “Aprendam vossos ritos através de mim” (Narrado por Jaber Ibn Abdullah, hadith verdadeiro, Al Badr-Al Munir)

E disse também : “Aquele que está presente que comunique ao ausente Sahih Bukhari, Volume 1, livro 3, Número 67

E disse: “Jamais digam mentiras sobre mim, e quem disser mentiras sobre mim (intencionalmente), que espere, pois, o seu lugar no inferno.” Sahih Bukari, Livro do conhecimento, narrado por Ali.

Vejamos em seu lar. Todos nós sabemos que seja qual for a imagem que tentamos mostrar perante as pessoas, nossas mulheres conhecem perfeitamente nossa realidade. As esposas do Profeta (SAAS) sempre o elogiavam. A senhora Khadija disse sobre ele: Juro que Allah nunca lhe abandonará, pois você mantém bons vínculos familiares, ajuda ao pobre e ao indigente ... Sahih Bukhari, livro 1, vol. 1, número 3.

Dez anos depois sua esposa Aisha disse: Suas virtudes morais eram a personificação do Alcorão” Hadith verdadeiro- Albani

Inclusive seus inimigos não puderam fazer nada além de elogiá-lo. Heracles, Imperador dos Romanos, soube que um homem da terra de Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), estava em território romano. Era Abu Sufian , que nesta época era seu inimigo mais hostil. O Imperador chamou Abu Sufian, inimigo do Profeta, para perguntar sobre Muhamad. Segundo o que narrou Abdullah Ibnu Abbas:

“Abu Sufian Ibn Harb me informou que Heracles havia mandado-lhe um mensageiro quando estava acompanhado de uma caravana de Quraish. Neste tempo eles estavam comercializando com os paises de al Sham (Síria, Palestina, Líbano e Jordânia) e o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) havia pactuado uma trégua com Abu Sufian e Quraish.

Abu Sufian e seus companheiros foram até Heracles Em Ilya (Jerusalém). Heracles os convidou para irem ao seu palácio e Abu Sufian foi rodeado pelos maiores funcionários romanos, e chamou também o tradutor para traduzir as perguntas de Heracles.

Heracles perguntou: “Quem de vocês está mais relacionado com esse homem que se diz ser um profeta?

Abu Sufian respondeu: “Eu sou o parente mais próximo” Heracles disse: “Tragam ele (Abu Sufian) aqui perto de mim, e deixem seus companheiros atrás dele

Abu Sufian acrescentou: “Heracles ordenou ao seu tradutor dizer aos meus companheiros que ele queria me fazer perguntas sobre esse homem (o Profeta) e se eu dissesse mentiras eles (meus companheiros) deveriam me contradizer”

Abu Sufian disse também: “Juro que se não fosse meu medo de que meus companheiros me chamassem de mentiroso jamais teria dito a verdade sobre o Profeta.”

A primeira pergunta que ele me fez foi: “Qual é o status de sua família entre vocês?” Respondi: “Pertence a uma nobre família dentre nós.”

Heracles voltou a perguntar: “Existe outro dentre vocês que tenha pretendido o mesmo que ele (a profecia) antes dele" Respondi: “Não”. Perguntou: “Houve algum rei dentre seus antepassados?” Respondi: “Não” Voltou a perguntar: “Quem são os que o seguem, os pobres ou os ricos?” Respondi: “São os pobres os que o seguem”. Voltou a perguntar: “Aumenta ou decresce o número de seus seguidores (dia a dia) ?” Respondi: “Está aumentando o seu número” Perguntou: “Alguém dentre aqueles que abraçaram essa religião ficou descontente e a renunciou?” Respondi: “Não”. Heracles perguntou: “Nunca haviam-no acusado de mentiroso antes dele pretender a profecia?” Respondi: “Não”

Heracles voltou a perguntar: “Ele já deixou de cumprir alguma promessa antes?” Respondi: “Não. Agora estamos em trégua com ele, mas não sabemos como ele se comportará durante ela” Não pude encontrar outra oportunidade para alegar contra ele exceto essa. Heracles perguntou: “Vocês já batalharam contra ele antes?” Respondi: “Sim”, logo disse: “Qual foi o resultado das batalhas?” Respondi: “Algumas vezes ele triunfou e em outras nós triunfamos” Perguntou: “E o que ele vos ordena fazer?” Respondi: “Ele nos convida a adorar a Allah, unicamente a Allah, abandonar a adoração de qualquer outro junto D’Ele, renunciar a tudo que os nossos antecessores nos disseram. Nos ordena rezar, dizer a verdade, nos purificarmos e a manter bons vínculos familiares.”  Heracles disse: “Se é verdade o que você me disse, este homem ocupará este lugar que se encontra abaixo dos meus pés”

Uma vez uma criança perguntou aos seus pais: “Porque sempre que se menciona a palavra Allah no Qur’an, logo após vem o nome do Profeta Muhamad, sendo que todos os restantes profetas também Lhe adoravam?”  Seu pai respondeu: “Porque ninguém trouxe à Terra tanta quantidade de reformas como o Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)”

Vamos passar agora para a segunda parte.Vamos dar uma olhada, então, sobre o mundo. Mas por onde começar? Deixe-nos ver, primeiro, o resto do mundo, a península arábica e finalmente Makkah.

O mundo estava sob a autoridade de dois grandes impérios, o Império dos Persas e o dos Romanos. Estava dividido em dois estados imperialistas e a injustiça estava espalhada amplamente. Os impostos eram muito elevados, havia discriminações raciais e perseguições religiosas. A injustiça existia em todo o lugar, as pessoas sofriam com uma pobreza terrível enquanto os líderes viviam em opulência. No Império Romano chegaram a formas cruéis de diversão como as lutas entre gladiadores e leões. Os Persas por outro lado, eram responsáveis pelo pior sistema de discriminação entre as classes sociais ao longo da história, gerando um abismo enorme entre os muito ricos e os muito pobres. Os nobres e os clérigos em uma parte, e a massa sem valor em outra.

A Europa suportava, nesse tempo, suas idades mais escuras. A ignorância  estava tão espalhada que ao discutir sobre o papel da mulher, discutia-se  se a mulher era um ser humano ou um animal e se teria direito a herdar ou ter propriedades!  A promiscuidade era comum.

Wells, historiador inglês, disse: “O mundo nunca havia visto em sua história uma época pior, de maior escuridão e desespero do que o século VI d.C. O mundo estava completamente paralisado e a Europa parecia o corpo caído de um gigantesco cadáver.”

Este era o mundo antes de nascer o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Wells concluiu suas palavras dizendo: “Até que Muhamad, o Profeta dos muçulmanos, apareceu.”

O mundo era um lugar mais hostil durante esta época do que é hoje em dia, assim pois, temos nós muito mais base para o otimismo. Por isso, não devemos perder a esperança. Não devemos nos desesperar de nossa situação, temos que nos esforçar. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah esteja com ele) começou sozinho, e em vinte anos conseguiu mudar a face da Terra. Vinte anos de planejamento, de trabalho, de aprendizagem e de sacrifício. Você pode compreender agora o versículo do Al Quran : “E não te enviamos, senão como misericórdia para a humanidade” (21:107) ?

Porém, gostaria de esclarecer que mesmo que todos os livros de referência falem dessa forma sobre essa época, isso não significa que tudo o que aconteceu nesses dois Impérios tenha sido ruim, porque se assim fosse nunca poderiam se levantar. Na realidade, na medida em que iam se passando as gerações foi se dando a decadência de tais Impérios. Cada civilização tem seu início e fim e no ano de 570 d.C aconteceu o seu fim. Os impérios tiveram seu apogeu e logo decaíram.  Assim, Allah, Louvado Seja, mandou a partir do deserto um homem que trouxe uma reforma baseada na verdade e na justiça. Os Romanos e Persas caíram por causa da injustiça, e nós nos levantamos graças à verdade e a justiça. Posteriormente a roda da história voltou a girar e caímos quando deixamos de lado essas duas virtudes, enquanto que a Europa levantou porque aplicou alguns de seus aspectos. Isto não quer dizer que estou de acordo com tudo que lá exista, o que quero dizer é que se dissermos que tudo é incorreto e que somente nós somos os certos, precisaremos estar em permanente conflito contra o Ocidente para fazer acontecer nosso ressurgimento, porém essa não é a maneira de fazer com que isso aconteça. Nunca você encontrará no Qur’an a palavra “conflito” e si “competição”. Queremos uma competição sã baseada em valores de ressurgimento e de auto-estima.

Passemos agora à Península Arábica:

Neste tempo havia tribos dispersas em contínuo conflito entre si: saques, seqüestros para a escravidão, etc. Com respeito à religião, havia 360 ídolos de deuses ao redor da Ka’aba (A casa sagrada). Alguns faziam de uma mera pedra quadrada seu deus, e se viajavam tomavam um remendo de tamanho adequado para a viajem como seu deus particular, conforme a sua conveniência. Outros faziam seu deus com tâmaras, quando fazia muito frio e não podiam sair até o local da oração. Assim quando sentiam muita fome, não havia outro remédio além de comer ao seu deus! Isso mesmo fez Omar Ibn Khatab antes do Islam, e quando lhe perguntaram “Por acaso você não tinha cérebro nesse tempo?” respondeu: “é certo que sim, mas nos faltava a orientação”

A mulher não tinha nenhum direito nas finanças, nas heranças ou para ter propriedades. A mulher, inclusive, era parte da herança, exceto aquelas mulheres que procediam de famílias nobres como Khadija e Amina Bint Wahba . Além disso, a prática de enterrar com vida as filhas era algo habitual. Alguns companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) haviam enterrado viva suas filhas antes do Islam, e por isso, depois, choravam de tanto remorso.

Algumas vezes faziam o enterramento de suas  filhas recém-nascidas e outras, de filhas que já haviam completado os seis anos.

No Qur’an Allah, Louvado seja, diz:

“Quando a algum deles é anunciado o nascimento de uma filha, o seu semblante se entristece e fica angustiado. Oculta-se do seu povo, pela má notícia que lhe foi anunciada: deixá-la-á viver, envergonhado, ou a enterrará viva? Quem péssimo é o que julgam!” (16:58-59)

Talvez exista certa sabedoria divina na morte dos filhos do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) e não das filhas.

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ao ver sua filha Fátima costumava abraçá-la e beijá-la em sua testa entre os olhos. Nos últimos momentos de sua vida, ela soube antes de qualquer pessoa que ele estava morrendo, porque ele não pode levantar-se para beijá-la como sempre.

Você percebe a quantidade de mudanças que o Profeta sofreu? Por isso nunca podemos perder a esperança.

Agora vejamos Makkah:

Makkah era uma cidade de comércio internacional. Todas as caravanas comerciais passavam por Makkah. Você sabe quais são as viagens de inverno e de verão (“O convênio das viagens de inverno e de verão” Qur’an 106)? As mercadorias que vinham da China ao Yemen passavam pela península arábica e os comerciantes de Quraish as transportavam ao Sham (Síria, Palestina, Líbano e Jordânia). Quraish era o vínculo entre os Romanos e os Persas. Por isso foi uma cidade próspera e seus comerciantes dos mais ricos de  todo o mundo.

Makkah foi também o centro de diferentes doutrinas religiosas por causa da Ka’aba (a Casa Sagrada), e isso produziu mudanças culturais, comerciais e riquezas. Assim, Makkah foi também um centro cultural e de informação. Os poetas costumavam se reunir no mercado de Akkadh para recitar poesia. Além disso, Makkah foi o lugar mais seguro em toda a península arábica, porque era a cidade principal dos árabes.

No Quran Allah, Louvado Seja, diz:

E não reparam (os maquenses) em que lhes concedemos um santuário seguro, ao passo que, ao seu redor, as pessoas eram saqueadas? Crerão, acaso, nas falsidades, e rejeitarão as graças de Deus?” (29:67)

E também: “E assim te revelamos um Alcorão árabe para que admoestes a Mãe das Metrópoles...” (42:7)

Também havia um parlamento básico em Makkah que se chamava “Dar al-Nadwa” (A Casa das Conferências) onde se reuniam os chefes das tribos para tomar as decisões juntos.

Havia 360 ídolos de deuses diferentes ao redor da Ka’aba (A Casa Sagrada), mas isso não porque as pessoas adoravam a todos esses ídolos, mas se tratava de um acordo financeiro feito com as tribos que lhes rodeavam. As tribos garantiriam a segurança das viagens de suas caravanas que passavam a partir do Yemen ao Sham, e em troca Quraish outorgava um lugar prestigioso para o seu deus ao redor da Ka’aba . E essa é a típica obra de Satanás porque ele sabe perfeitamente que o seu instinto “o instinto humano” lhe guiará cedo ou tarde ao caminho correto e certamente terminará conhecendo que esses ídolos não são mais que meras pedras. Daí ele trata de vincular isso com os interesses financeiros.

Assim, quando o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) lhes chamou a adorar somente a Allah, deste modo estava colocando em perigo seus comércios, suas ganâncias, sua liderança e sua importância religiosa. Satanás fez isso antes e segue repetindo agora : colocar teus interesses em uma mão e a verdade na outra. Por isso nem pense em fazer prevalecer seus interesses sobre a verdade.

Como exemplo temos a “cola” nos exames. Alguns professores dizem: “Deixe esses pobres alunos colarem nos exames”. Isso não! Não existem concessões no assunto do correto e do incorreto.

Digo, urgindo para as novas gerações, que coloquem a justiça em primeiro lugar, antes de tudo. Essa inimizade que Quraish mantinha contra o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) era puramente para manter seus interesses.

Pare um momento para perguntar a você mesmo se você tem colocado seus interesses acima da verdade.

O universo se baseia na verdade. Jamais pense em dizer que os interesses da vida nos exigem atuar de determinada maneira, porque senão onde estaria  a justiça?

Apesar de tudo isso, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) se centrará em três pontos que irão se converter em oportunidades de ouro:

· Se utilizará da vantagem da época do Hajj (peregrinação) para se encontrar com as tribos para lhes apresentar a idéia de seu Din. Na ciência da administração existe algo que se chama análises de SWOT (análise estratégica), nele avaliam-se os pontos de força e as oportunidades, e o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez algo parecido e utilizou a oportunidade disponível. E mais tarde pode emigrar a Madina porque havia encontrado os Ansar (os auxiliares) durante a época da peregrinação.

· A língua de Quraish era comum e compreensível entre todas as outras tribos.

· Os árabes eram pessoas livres, porque nunca foram ocupados (ou seja, por outros países). Eram valorosos e nunca  experimentaram a humilhação, por isso foram capazes de fazer o ressurgimento. Aqueles que não saborearam a liberdade nunca poderiam ter a resolução, a determinação e a oportunidade.

Peço encarecidamente que vocês ensinem vossos filhos a serem livres, a ter orgulho e critério de modo que possamos aspirar o ressurgimento.

Não estou aqui para narrar as histórias acerca da Sirah do Profeta  (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)? Esta é a veia vital da nossa nação!

Escutem atentamente esta história:

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) estava sentado com os mais importantes homens de Quraish, e um menino estava sentado à sua direita. Todos estavam com sede, assim que pegou o jarro de água e seguindo a Sunnah (Tradição do Profeta (SAAS)) deveria começar oferecendo água ao menino. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) voltou-se ao menino e lhe perguntou: “Você me permite oferecer a água aos maiores antes?” O menino respondeu: “Não, não deixarei por nada a parte que me corresponde de sua generosidade!” Então, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) voltou-se aos homens ao seu redor e disse: “Esse é o seu direito, devo começar por ele”

Assim é como temos que educar nossos filhos!

Quando Omar Ibn Al Khattab caminhava pela rua, via as crianças correndo a fugir dele, e uma vez todas as crianças correram exceto uma que era Abdullah Ibnu Zubair. Omar lhe perguntou: “Porque você não saiu correndo como seus amigos?” Essa criança respondeu: “O caminho não é tão estreito para que eu tenha que lhe dar espaço e não cometi nenhuma falta para sair correndo

Omar olhou para este menino e disse: “Esse menino alcançará uma posição elevada” E de fato esse menino chegou a ser o Califa dos crentes!

Nossa terceira lição de hoje é a auto-estima. Não haverá ressurgimento sem orgulho.

Passemos agora ao nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele):

Quando ele nasceu, seu avô fez um banquete para a celebração do sétimo dia de seu nascimento, lhe circuncidou e colocou-lhe um nome. Quando as pessoas lhe perguntaram que nome ele havia lhe dado, ele respondeu: “Muhammad”, disseram espantados: “Porque você se desviou dos nomes de seus antepassados?” Ele respondeu, como se a sua resposta fosse uma inspiração divina: “Quero que os habitantes da terra o louvem na terra e os do céu no céu”

O que significa “Muhamad”? Muhamad é uma hipérbole da palavra “louvado” e se diz de uma pessoa que recebe esse elogio de forma contínua. Também lhe nomearam “Ahmad” que é um adjetivo superlativo porque ninguém louvou mais Allah do que ele. Seu nome conforme as Escrituras Divinas que foram reveladas antes do Islam é “Ahmad” e não “Muhammad”, isso porque louvar a Allah (Ahmad) deve preceder ao ser louvado pelo demais (Muhammad).

Allah, Louvado Seja, lhe concedeu a Sura Al Fatiha (A Abertura): “Louvado seja Allah, Senhor do Universo” (1:2). O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse que intercederá no Dia do Juízo com palavras de Louvor a Allah que ninguém jamais tenha pronunciado antes. Além disso, terminamos cada ato que fazemos com palavras de louvor. A moral é que Allah SWT quer que cada coisa termine com as palavras de Louvor e como Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) foi o último Profeta, então seu nome invocará palavras de louvor. Seu nome é uma evidência de sua verdade!

Por outro lado, o louvor está relacionado com o Ressurgimento. Como? A atitude mental daquela pessoa que quer construir um Ressurgimento deve ser positivamente agradecida. Algumas pessoas religiosas do nosso tempo estão sempre com a testa enrugada e ficam irritados por motivos triviais, porém esta não é a atitude que se requer para favorecer uma mudança positiva. Ao contrário, uma pessoa agradecida é sempre pacifica e contente. Por isso deve adotar a mentalidade de Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele).

E qual é o seu nome completo?

É Muhammad Ibn Abdullah, Ibnu Abdul Muttalib, Ibn Hashem, Ibn Abd Zanat, Ibn Abd Kusay, Ibn Kilab, Ibn Murra, Ibn Kaab, Ibn Louay, Ibn Ghaleb, Ibn Fihr.

Fihr foi o pai de Quraish e Fihr foi descendente de Ismail cujo pai era Abraão.

Seu avô maior era Kusay, que foi quem unificou Quraish. A palavra Quraish é derivada da palavra árabe taqarush, que significa aproximação. Também foi quem construiu o “Dar al-Nadwa” (Casa das Conferências) e ficou na liderança da tribo Quraish. Logo veio Hashem que foi aos Persas e Romanos negociar o trânsito das caravanas comerciais de Quraish. Além disso fez os acordos comerciais com as tribos árabes e deste modo atraiu riquezas a Quraish.

Seu avô direto é Abdul Muttalib que foi quem cavou o poço de Zamzam proporcionando deste modo a água aos árabes. A liderança corre nas veias da família do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele). Mas apesar da nobreza do sangue e do estado de liderança sua família não era rica, e assim, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) estava próximo aos pobres pela falta de dinheiro e próximo dos ricos pela nobreza de seus antepassados. Allah, Louvado seja, preparou o mundo, o continente, a península, Makkah e inclusive a família e o primeiro nome do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele).

Banu Umayyah, outra parte da família, era o lado rico, mas não foram populares. Por outro lado, Banu Abdul Muttalib não era uma família rica, mas todos os amavam já que eles sempre ofereciam ajudas.

Por isso peço e rogo à classe média que nunca abandonem as virtudes morais e seus valores por falta de riqueza, o Profeta era como vocês. E digo aos  ricos: Não sigam os passos de Banu Umayyah que não serviam à sua comunidade.

Todos conhecemos a grande história de Abdul Muttalib, foi ele que parou na frente de Abraha, que havia vindo para conquistar Makkah e destruir a Ka’aba . A primeira coisa que Abraha fez foi confiscar as riquezas das pessoas. Abdul Muttalib veio até Abraha reclamar para que ele devolvesse seus camelos. Abraha começou a rir e disse: “Pensei que você havia vindo negociar sobre a Ka’abah que pretendo destruir” Abdul Muttalib respondeu: “Os camelos são meus, já a Ka’aba tem seu Senhor e Ele a protegerá.”

Outro aspecto bonito no nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) decorre do seguinte versículo, onde Allah diz:

“Chegou-vos um Mensageiro de vossa raça, que se apiada do vosso infortúnio, anseia por proteger-vos, e é compassivo e misericordioso para com os fiéis.” (Qur’an 9:128)

O que quer dizer: “Chegou-vos um Mensageiro de vossa raça”? Um profeta do vosso ambiente. Também significa que todos nós temos relações com o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) de uma forma ou de outra. Seu avô Kinana era do Yemen. Seu avô Ahraham era do Iraque. Sua avó Hagar era do Egito. Ele era de Makkah e viveu em Madina. Seu avô Hashem foi enterrado em Gaza (Palestina) e, por isso é famoso o nome Gaza de Hashem. Seus descendentes viveram na Jordânia e norte da África enquanto que ele viveu na Península Arábica. Sua ama-de-leite Umm Ayman era do Sudão e sua outra ama-de-leite Halima Assa’diyyah era do deserto da Arábia.

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) nasceu numa manhã de segunda-feira do dia 12 de Rabi’ Al Awal (Primeira Primavera), correspondente a 20 de Abril de 570 d.C, 50 dias antes do “Ano do Elefante”.

Abraha marchou para a Ka’aba para destruí-la, e os habitantes de Quraish buscaram refugio nas montanhas. Logo apareceram aves levando em seu bico pedras pretas. Uma vez que uma pedra pegasse em um soldado lhe ocasionava um tipo de doença na pele que fazia a mesma queimar e sobrevinha ao soldado terríveis dores.

Allah, Louvado Seja, diz no Quran:

“Não reparaste no que o teu Senhor fez, com os possuidores dos elefantes? Acaso, não desbaratou Ele as suas conspirações, Enviando contra eles um bando de criaturas aladas,Que lhes arrojaram pedras de argila endurecida.E os deixou como plantações devastadas (pelo gado)?” (105: 1-5)

Certamente este evento que ocorreu uns 50 dias antes do nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) tem uma importância enorme. Quando as pessoas narravam a história diziam: “Allah protegeu a Sua Casa Sagrada”. Assim quando Aminah relatou a seu filho Muhamad o milagre divino, sobre as aves, sobre o que seu tio fez ao enfrentar Abraha, ele lhe perguntou sobre os ídolos que estavam ao redor da Ka’aba, mas ficou sem conhecer a resposta. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) nasceu depois do “Ano do Elefante” para descobrir toda a verdade. Quando jovem um homem lhe perguntou: “Você jura por Al Lat e Al Uzza?” (Lat e Uzza eram duas divindades dentre os ídolos de Quraish) O Profeta lhe respondeu: “Nunca os adorei para jurar por eles”. Tudo isso ocorreu no “Ano do Elefante”.

Outro aspecto de grande importância do “Ano do Elefante” é que os eventos graves produzem sempre pessoas grandes.

Nós como Nação, estamos passando por um período grave e não há dúvida de que se produzirão pessoas grandes. Pessoas grandes que não serão destrutivas e sim que restaurarão a paz e a harmonia na terra.

Finalmente, o nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) foi natural e comum, diferentemente de Moisés e Jesus. Depois do milagre do elefante, não ocorreram mais milagres sobrenaturais, já que se havia terminado a época dos milagres, e é tempo de planejamento científico. Trabalha duramente e tem uma fé forte e Allah facilitará os medos para a recuperação, a reforma e trará a prosperidade para a terra.

Algumas pessoas que celebram o nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) dizem coisas inapropriadas como: “Foi um ano agradável, em que todas as mulheres deram luz a filhos meninos” Como podem pretender tal coisa, sendo que o mesmo Profeta  (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez uma revolução na importância da mulher?

Outros dizem “durante o parto as senhoras Mariam e Ásia vieram em ajuda de Amina”. Não ocorreu nada disso. Foi um parto normal de modo que podemos compreender o significado do versículo em que Allah diz: “Realmente, tendes no Mensageiro de Deus um excelente exemplo para aqueles que esperam contemplar Deus, deparar-se com o Dia do Juízo Final, e invocam Deus freqüentemente” (33:21)

Chegamos ao final do episódio de hoje! Façamos um resumo.

Até agora tocamos em 6 pontos:

1-“ E sabei que o Mensageiro de Deus está entre vós” (Sura 49:7)

2-O estado do mundo antes do nascimento do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)

3- O colapso das civilizações derivada da ausência de justiça.

4- Não é verdade que todos os aspectos da civilização ocidental devem ser rejeitados. Devemos coexistir sem conflito.

5- O Profeta honrou a mulher

6- Como você pode transformar as poucas vantagens em oportunidades.

Após isso, falamos do nascimento do Profeta Muhamad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), destacando algumas lições:

1-Aqueles que construirão o ressurgimento da Nação são pessoas que agradecem e louvam a Allah abundantemente.

2- As famílias nobres, mas pobres. Mantenha seu orgulho e sua auto-estima.

3- Os graves eventos produzem grandes homens.

4- A época dos milagres já passou

 

Professor Amro Khaled,

Tradução irmã Zohra!