A Ilusão e Suas Causas

Ó humano, o que te fez negligente em relação ao teu Senhor,o Munificente, que te criou, te formou, te aperfeiçoou, e te modelou na forma que Lhe aprouve? (82:6-8)

O que leva o ser humano a ser negligente? O que o faz esquecer do seu início? O que o faz satisfazer-se das dádivas de Deus sem agradecê-lo? O que o faz ser audacioso a ponto de imaginar que é livre e independente?

Este ser humano vive envolto por tudo que Deus criou para o seu bem estar, respira do ar que Deus criou e o fez necessário para ele, amanhece e anoitece convivendo com a perfeição do sistema que Deus lhe proporcionou, porém sem lembrar do nome de Deus. Sem lembrar da origem de tudo.

Aprofundando-se nas descobertas da atualidade relaciona toda a maravilha do mundo à própria natureza e se ilude.(amman khalaqa... ou outro)

Afogado em seus desejos e prazeres vive uma vida materialista e distante da realidade e se ilude. (afaraita man tabaá ilahahu)

Ao obter um sucesso no decorrer de sua vida se alegra demasiadamente e pensa estar seguro e ter alcançado o ápice da felicidade e se ilude.

E Deus, com toda negligência e ilusão do ser humano aumenta suas mercês e suas dádivas sobre ele e lhe mostra a verdadeira face da vida na terra e lhe esclarece os fatores ilusórios que ela tem, para que todo ser humano conheça a verdade e saiba que a vida terrena é ilusória e enganadora.

Em sua orientação ao ser humano, Deus esclarece que o homem deve estar desperto aos acontecimentos da vida, tratando a ilusão como ilusão e a realidade como realidade. E como conhecer a ilusão, sendo ela um fator oculto e obscuro? Deus nos fez conhecer esta ilusão e nos orientou a vivermos atentos e despertos, acesos com a luz de sua orientação na escuridão da vida.

Deus mostra-nos as várias ilusões que podem atravessar a vida do homem na sua longa viagem rumo à vida eterna, onde a ilusão tornar-se-á realidade. O que faz o homem ser negligente em relação ao teu Senhor e se iludir? E como não ser iludido? O Alcorão responde:

1. A primeira das ilusões que atingem o ser humano é "a vida terrena". A vida com seus atrativos, enfeites e adornos. Qual é a realidade desta ilusão e como fugir desta miragem?!

Disse Deus, o Altíssimo: * Ó humanos, temei vosso Senhor e temei o dia em que um pai em nada poderá redimir o filho, nem o filho ao pai. Certamente, a promessa de Allah é verdadeira! Que não vos iluda a vida terrena, nem vos iluda o sedutor, acerca de Allah* (31:33)

*Expõe-lhes o exemplo da vida terrena, que se assemelha à água que enviamos do céu, a qual se mescla com as plantas da terra, as quais se convertem em feno, o qual os ventos disseminam. Sabei que Allah prevalece sobre todas as coisas* (18:45)

*Aos homens foi abrilhantado o amor aos desejos: mulheres, filhos, entesouramento do ouro e da prata,os cavalos de raça, o gado e as sementeiras. Tal é o gozo da vida terrena; porém, a bem aventurança está ao lado de Allah* (03:14)

*O exemplo da vida terrena equipara-se à água que enviamos do céu, a qual mistura-se com as plantas da terra, de que se alimentam os homens e o gado; e quando a terra se enfeita e se engalana, a ponto de seus habitantes crerem ser seus senhores, atinge-a o Nosso desígnio, seja à noite ou de dia, deixando-a desolada, como se, na véspera, não tivesse florescido. Assim elucidamos os versículos àqueles que refletem* (10:24)

Assim é expostas a ilusão da vida e suas armadilhas no Alcorão Sagrado. Esta é a realidade da vida terrena. É brilhante e maravilhosa aos olhos de quem a enxerga sem pensar em tudo que a envolve e envolve o ser humano nela de vida e morte, saúde e doença, riqueza e pobreza, amor e ódio, segurança e medo, etc., enfim, todos os acontecimentos e todos os sentimentos que envolvem o ser que navega no mar da vida e enfrenta suas ondas e marés.

Ao mesmo tempo em que foi esclarecido ao homem a ilusão desta vida foi estabelecido que nela ele vive. Então, qual a saída? O que fazer? Fugir? Se abster dela? Viver isolado de tudo que se relaciona a ela?

A visão do muçulmano não é fatalista e "seca", mas sim,realista. Esclarece a vida visando todos os seus ângulos e respondendo a tudo que nela ocorre de acordo com o Criador desta vida. Ao citar a realidade e abrir os olhos do homem à ilusão traz a solução e o caminho para uma vida segura e clara, que abrange a vida e a morte, a felicidade e a tristeza...

Após lembrar o homem da realidade da vida terrena e sua ilusão, Deus sucede esta realidade com a solução para viver esta realidade...

Quando fala dos desejos e que ao homem foi abrilhantada a vida terrena com suas diversas ilusões (03:14), logo diz: *Dize (ó Profeta): Poderia anunciar-vos algo melhor do que isto? Para os que temem a Allah haverá, ao lado do seu Senhor jardins, abaixo dos quais correm os rios, onde morarão eternamente, junto a companheiros puros, e obterão a complacência de Allah, porque allah é Observador dos Seus servos, que dizem: Ó Senhor nosso, cremos. Perdoa-nos nossos pecados e preserva-nos do tormento infernal. São perseverantes, verazes, consagrados (a Allah), caritativos, e nas horas de vigília imploram o perdão de Allah* (03:15-17)

Assim Deus dá uma orientação ao homem e anuncia o caminho que leva até Ele e nos salva da ilusão da vida mundana. Cita as qualidades que o homem deve ter para não se deixar levar por esta ilusão... o temor a Allah, a crença n'Ele, a retidão no Seu caminho,implorar o Seu perdão, a perseverança, a veracidade, a caridade, etc..

No outro versículo, após dar um exemplo da realidade da vida e seus enfeites enganadores (10:24), mostra a saída e o escape da ilusão dizendo: *E Allah encaminha à morada da paz e encaminha à senda reta quem Lhe apraz. Aqueles que praticam o bem obterão o bem e ainda algo mais, nem a poeira nem a ignomínia anuviarão os seus rostos. Eles serão os diletos do paraíso, em que morarão eternamente. Aqueles que cometerem maldades...* (10:25...)

2.Outro "iludidor" é o Satanás, o qual Allah citou dizendo... *Que não vos iluda a vida terrena e nem vos iluda o sedutor (Satanás)...* (31:33). A ilusão que atingiu nosso pai, Adão diretamente, quando vivia com Eva no paraíso... *E tu, ó Adão, habita com tua esposa o Paraíso! Desfrutai do que vos aprouver; porém, não vos aproximeis desta árvore, porque estareis entre os transgressores. Então, Satã lhes cochichou, para revelar-lhes o que, até então, lhes havia sido ocultado de suas vergonhas, dizendo-lhes: Vosso Senhor vos proibiu esta árvore para que não vos convertêsseis em dois anjos ou não estivésseis entre os imortais. E ele lhes jurou: Sou para vós um fiel conselheiro. E com enganos, seduziu-os. Mas quando provaram o fruto da árvore, manifestaram-se-lhes as vergonhas e começaram a cobrir-se com as folhas das plantas do paraíso. Então, seu Senhor os admoestou: Não vos havia vedado esta árvore e não vos havia dito que Satanás era vosso inimigo declarado? Disseram: Ó Senhor nosso, nós mesmos nos condenamos e, se não nos perdoares e Te apiedares de nós, seremos desventurados!* (07:19-23).

E ilusão da qual Deus, o Altíssimo, nos chamou a atenção, após citar a história de Adão e Eva, dizendo: *Ó filhos de Adão, que Satanás não vos seduza, como seduziu vossos pais no paraíso, fazendo-os sair dele, despojando-os de suas vestimentas, para mostrar-lhes as suas vergonhas! ele e seus partidários vos vêem, de onde não os vedes. Sem dúvida que temos designado os demônios como amigos dos incrédulos* (07:27)

Ao recitarmos estes versículos, entendemos perfeitamente que a ilusão satânica tem como um dos seus principais objetivos despir o ser humano e fazê-lo mostrar suas vergonhas. Assim, este ser se despirá também de sua consciência e praticará as obscenidades que Deus vedou. E Deus orientou-nos ao citar Satanás e sua conspiração contra Adão e toda sua prole dizendo: filhos de Adão, enviamos-vos vestimentas, para dissimulardes vossas vergonhas, para a vossa proteção e adorno...* (07:26).

Para proteger o homem de tais obscenidades, Deus deixa claro que estabeleceu as vestimentas e honrou o homem com ela, porém, vemos que ontem e hoje, a arma de Satanás e seus partidários são a nudez, que tem como objetivo, despir o homem de todos os valores morais que possui. A nudez e a libertinagem são usadas incessantemente para desviar o ser humano e fazê-lo ter uma vida animal, sem razão nem alma.

E quem é o maior sacrificado nesta ilusão de Satanás é a mulher, que está a cair numa verdadeira armadilha. Dizem a ela: "Nós vamos te libertar, você vai ser livre e ter os seus direitos". Porém, estes direitos não garantem o principal direito: o respeito à mulher como ser humano, como mãe, como esposa , como irmã, como filha, como educadora, como base da sociedade.

Em nome da liberdade, a mulher é usada e manipulada na sociedade. Seu corpo é vendido em bancas de jornal e na TV; é usado como uma estátua para enfeitar os programas de auditório; a mulher é comparada a objetos, por acaso não lembram dos comerciais de TV que veiculam perguntas como: O que o brasileiro mais gosta, mulher, cerveja, praia ou futebol? Em outra propaganda aparece um senhor ao lado de duas moças com o seguinte slogan: "troquei" uma de 51 por duas de 21. Comparar a mulher a futebol e cerveja e trocá-la faz parte dos seus direitos?! Se a mulher tem um corpo formoso e belo é valorizada e considerada, se não, é mais uma! A moda que difundem na sociedade tende a expor cada vez mais o corpo da mulher, e a convenceram de que isto é liberdade, está sendo usada e assediada e acredita que isto lhe trará respeito e dignidade, não percebe que assim ela está sendo submissa ao homem e está a atender aos seus desejos carnais e caindo na velha ilusão satânica de expor a intimidade e vergonha do ser humano, para prejudicá-lo e fazê-lo ser condenado como o foi.

A ilusão de Satanás também é representada por todas as outras obscenidades existentes e males que podem ser causados ao homem, também existe na incredulidade e na magia, enfim, em todos os malefícios.

Cada alma tem a sua responsabilidade pessoal e não pode descarregá-la sobre outrem, assim os que foram desviados não serão inocentados por terem sido iludidos e, da mesma forma, Satanás, após ter iludido, não arcará com as conseqüências de sua ilusão e nem carregará a culpa pelo mal que o iludido cometeu. Sobre a covardia de Satanás e seu diálogo no dia do juízo final, com os que o seguiram, e sobre seguidos e seguidores, Deus, o Altíssimo, diz: *Todos comparecerão ante Allah! E os fracos dirão aos que são arrogantes: Já que fomos vossos seguidores, podereis, porventura, livrar-nos do castigo de Allah? Responder-lhes-ão: Se Allah nos houvesse encaminhado, o mesmo teríamos feito convosco; quer nos desesperemos, quer sejamos pacientes, não teremos escapatória. E quando a questão for decidida, Satanás lhes dirá: Allah vos fez uma verdadeira promessa; assim, eu também vos prometi; porém faltei à minha, pois não tive autoridade alguma sobre vós, anão ser convocar-vos, e vós me atendestes. Portanto, não me reproveis, mas reprovai a vós mesmos. Não sou o vosso salvador, nem vós sois os meus. Renego (o fato de) que me tenhais associado a Allah, e os injustos sofrerão um doloroso castigo!* (14:21-22)

3. Os sonhos e desejos. Outro tipo de ilusão apresenta-se na forma de sonhos e desejos excedentes e muitas aspirações que fazem o homem esquecer da morte e ter uma vida puramente material.

O Islam indica ao homem o remédio para a cura de tal ilusão: O anseio por poucas aspirações.

Para diminuir estas aspirações e encurtar estes desejos "intermináveis" lembramos o homem da morte e o incitamos a dedicar sua vida a Deus enquanto pode. O profeta Muhammad disse: "O inteligente é aquele que "controlou" seu espírito e preparou-se para o que vem depois da morte. E o tolo é aquele que seguiu os seus impulsos (e desejos) e desejou de Deus (o que não fez)". E para mostrar como a busca de novos anseios e desejos são intermináveis para o ser humano que se ilude o profeta certa vez desenhou um quadrado, traçou uma linha atravessando este quadrado e traçou linhas em direção a esta linha maior e disse: "Este é o ser humano e este é o intervalo de sua vida, este que ultrapassa (o limite de sua vida) são as suas aspirações, e estas linhas pequenas são as tentações, se esta não o atinge, a outra o alcança, e se esta não o atinge esta o alcança".